Busca de conciliação

Sem acordo, greve dos professores continua em São Luís

Na segunda audiência com o Ministério Público Estadual (MP), professores e Prefeitura de São Luís não chegaram a um acordo e paralisação continuará na capital.

Carla Lima/Ipolítica

- Atualizada em 03/05/2022 às 13h28
Sem acordo com a Prefeitura de São Luís, professores mantêm greve
Sem acordo com a Prefeitura de São Luís, professores mantêm greve (Divulgação)

SÃO LUÍS - A segunda audiência de conciliação para colocar fim a greve dos professores que já dura 16 dias, o Ministério Público Estadual (MP) não conseguiu fechar um acordo entre a Prefeitura de São Luís e o Sindicato dos Professores da Rede Municipal de São Luís (SindEducação). O município manteve a proposta de 10,06% e a categoria quer 17,62%.

Diante do impasse, o MP fez uma nova proposta. O órgão ministerial - que já havia feito a 14,57% proposta de reajuste para os professores - recomendou à Prefeitura de São Luís que um reajuste de 10,06% seja aplicado já na folha salarial de maio e, com isso, os professores voltarão para sala de aula com a garantia de que as negociações para reajuste sejam mantidas entre as partes.

Além disto, o MP determinou que até sexta-feira, 6, apresente todos os documentos em relação ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais (Fundeb), à folha de pagamento e os estudos que chegaram ao percentual de 10,06%.

Com o impasse, a greve se mantém. Enquanto isto, o SindEducação se reunirá nesta terça-feira, 3, à tarde, para deliberar sobre o que a nova proposta do MP de reajuste imediato dos 10,06% mantendo a mesa de negociação. A reunião ocorrerá na Praça Maria Aragão.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.