Clonagem de chip

Funcionárias públicas e vigilante da DPU-MA são presos por estelionato

Ao todo, sete pessoas foram presas acusadas de integrarem quadrilha que fez vários prefeitos de vítimas.
Imirante.com16/01/2019 às 17h45
Funcionárias públicas e vigilante da DPU-MA são presos por estelionatoOs presos são: José Jorge Xavier Alves; Lottas Mateus Ribeiro Caldas; Hallen Devid Cosmo do Nascimento; Bruno Nascimento Alves de Morais; Marcos Aurélio Santos Freitas Filho; Márcia Sebastiana Sousa de Jesus e Anniele Raina Barreto Granjeiro. (Foto: Alessandra Rodrigues/Mirante AM)

SÃO LUÍS - Na tarde desta quarta-feira (16), a Polícia Civil do Maranhão por meio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), apresentou sete pessoas que foram presas, na noite dessa terça (15), acusadas de envolvimento com estelionato e associação criminosa.

Os presos são: José Jorge Xavier Alves; Lottas Mateus Ribeiro Caldas; Hallen Devid Cosmo do Nascimento; Bruno Nascimento Alves de Morais; Marcos Aurélio Santos Freitas Filho; Márcia Sebastiana Sousa de Jesus e Anniele Raina Barreto Granjeiro.

Leia também:

Golpistas, passando-se pela vítima, pediram dinheiro a amigos e parentes dela

Seic apresenta integrantes de quadrilha que aplicava golpes pelo WhatsApp​

Garçom é preso por extorquir clientes de restaurante​

Segundo informações do delegado Carlos Alessandro, titular da Seic, entre os presos há uma funcionária da Câmara Municipal de São luís, uma funcionária da Prefeitura de Paço do Lumiar, um funcionário de uma terceirizada da Vale e um vigilante da Defensoria Pública da União no Maranhão (DPU-MA). E um dos investigados já havia sido preso pela Seic, pelo mesmo tipo de crime, mas encontrava-se em Liberdade Provisória.

De acordo com a Seic, a quadrilha agia usando a clonagem de um número de chip de celular, onde depois utilizava um aplicativo de mensagens de texto, entrando em contato com os familiares e amigos da vítima, no sentido de pedir valores por transferências bancárias. Ou seja, após clonar os chips, os criminosos faziam se passar pela vítima do chip clonado e pediam ajuda financeira. O grupo criminoso fez vítimas em vários municípios do Maranhão.

Ainda segundo o delegado Carlos Alessandro, entre as vítimas da quadrilha estão sete prefeitos de cidades do Maranhão. E há suspeitas de que alguns prefeitos de cidades do Estado do Paraná também tenham sido vítimas dos criminosos.

A Seic ainda investiga a quantidade real de vítimas e o prejuízo financeiro dado pela quadrilha, que, segundo informações preliminares, seria superior a R$ 200 mil. A Polícia Investiga, ainda, a participação de mais pessoas na organização criminosa.

Ouça, na entrevista que o delegado Carlos Alessandro deu na rádio Mirante AM, mais detalhes sobre o caso.

Em nota, a DPU-MA esclareceu que o vigilante envolvido com a quadrilha é terceirizado; saiba mais.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.