Série C

Sampaio Corrêa luta, mas Náutico arranca empate e conquista a Série C

Com acesso garantido para a Série B de 2020, a Bolívia Querida adiou o sonho do tetracampeonato nacional.
Gustavo Arruda / Imirante Esporte06/10/2019 às 18h12
Festa alvirrubra: o Náutico conquistou o título da Série C em pleno Castelão. (Foto: De Jesus / O ESTADO)

SÃO LUÍS - O Sampaio Corrêa não conseguiu a cereja no bolo que faltava para fechar a temporada de 2019 em grande estilo. Mesmo contando com o apoio da torcida tricolor, que fez a sua parte e marcou presença no Estádio Castelão na tarde deste domingo (6), a Bolívia Querida falhou na batalha por uma virada histórica na decisão do Campeonato Brasileiro Série C: precisando de uma vitória por três ou mais gols de diferença para conquistar o tetracampeonato nacional, após ser derrotado por 3 a 1 no jogo de ida, o Sampaio esteve duas vezes na frente do placar, mas cedeu o empate por 2 a 2 diante do Náutico e ficou com o vice-campeonato da Terceirona.

Leia também:

De saída para time da Série B, Andrey quer voltar para o Sampaio Corrêa em 2020

João Brigatti elogia o grupo, mas lamenta derrota: "dói na alma"

Atacante do Sampaio Corrêa, Salatiel Junior garante artilharia da Série C

Torcida aplaude time, e Odair Lucas exalta apoio no Castelão

Eloir elogia atuação do Sampaio Corrêa em final: "Fez tudo o que podia"

Capitão exalta força do Sampaio e disse que deve ficar em 2020

Pressionando desde o começo de jogo, o Sampaio Corrêa abriu vantagem no primeiro tempo, com Everton, que arriscou o chute da entrada da área aos 13 minutos e acertou o canto direito de Jefferson. Na etapa final, o Náutico mudou a postura e arrancou o empate logo aos cinco minutos: após escanteio de Jean Carlos, Álvaro desviou de cabeça e deixou tudo igual. O Sampaio reassumiu a liderança do placar aos 37, com Salatiel Junior, mas Matheus Carvalho, aos 39, puxou o contra-ataque, empatou novamente o jogo e decretou o título do Timbu em São Luís.

O Náutico conquistou o título após empate contra o Sampaio Corrêa. (Foto: Divulgação / Clube Náutico Capibaribe)

Campeão da Série B em 1972, da Série C em 1997 e da Série D em 2012, o Sampaio Corrêa sofreu a segunda derrota consecutiva em uma final da Terceira Divisão: em 2013, a Bolívia Querida perdeu o título em decisão contra o também pernambucano Santa Cruz. O Náutico, por sua vez, conquistou o primeiro título nacional em 118 anos. As duas equipes, junto com os semifinalistas Confiança e Juventude, voltam a disputar a Série B na próxima temporada.

Com a temporada encerrada, o Sampaio Corrêa volta agora as suas atenções para 2020, quando disputará duas competições: o Campeonato Maranhense e o Campeonato Brasileiro Série B. O Tricolor aguarda o ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para saber se disputará a próxima edição da Copa do Brasil. O Náutico, por sua vez, terá calendário cheio, com vagas garantidas no Estadual, na Copa do Nordeste, na Copa do Brasil e na Segundona.

Sampaio Corrêa e Náutico fizeram uma final emocionante no Castelão. (Foto: De Jesus / O ESTADO)

O jogo

Empurrado pela torcida e precisando de dois gols para levar a decisão do título da Série C para os pênaltis, o Sampaio Corrêa fez o que se esperava no começo de jogo e pressionou o Náutico. Logo aos três minutos, Esquerdinha levantou a bola na grande área, Lucas Hulk cabeceou e Jefferson, bem posicionado, fez a defesa. Animado, o Tricolor manteve o ritmo e abriu o placar aos 13: após ser lançado na ponta-direita, o lateral Everton cortou para o meio, arriscou o chute de pé esquerdo e acertou o canto direito de Jefferson.

O Sampaio Corrêa abriu o placar ainda no primeiro tempo. (Foto: De Jesus / O ESTADO)

Superior em campo e aproveitando a euforia da torcida no Castelão, o time do Sampaio Corrêa intensificou a pressão diante de um acuado Náutico. Aos 23 minutos, Esquerdinha cobrou falta e encontrou Paulo Sérgio, que cabeceou para defesa de Jefferson. O Náutico só conseguiu uma finalização aos 28 minutos, mas a tentativa de Matheus Carvalho parou em Andrey.

Enquanto o Náutico ainda tentava se ajustar em campo, o Sampaio Corrêa criava suas oportunidades de gol. Eloir, aos 29 minutos, chutou da entrada da área, e Jefferson espalmou para o lado direito. Já aos 38, Esquerdinha passou por Hereda, invadiu a área, caiu antes da finalização e pediu pênalti, que não foi marcado pela arbitragem.

Náutico busca empate duas vezes e atrapalha planos do Sampaio

Antes mesmo que o cenário da etapa final se desenhasse no Castelão, o Náutico deu um duro golpe nas pretensões do Sampaio Corrêa. Aos cinco minutos, Álvaro aproveitou cobrança de escanteio de Jean Carlos, fez o cabeceio e Andrey não conseguiu segurar a bola. Com o empate do Timbu, o Sampaio voltou ao campo de ataque e desperdiçou uma grande oportunidade aos 15: após ganhar uma dividida com Diego, Salatiel Junior ficou cara a cara com Jefferson, mas o goleiro alvirrubro evitou o segundo gol da Bolívia Querida.

Satisfeito com o empate, o Náutico abdicou do ataque e se resumiu a fechar os espaços do Sampaio Corrêa, que acumulava chances desperdiçadas. Aposta tricolor para a etapa final, Rodrigo Andrade finalizou de longe aos 24, sem perigo ao gol do Timbu. Pouco depois, aos 26, Rodrigo Andrade cruzou a bola na grande área, Eloir desviou de cabeça, e Jefferson se esticou todo para salvar o Náutico.

Artilheiro da Série C, Salatiel Junior balançou as redes pelo Sampaio Corrêa. (Foto: De Jesus / O ESTADO)

Com todo o time no campo de ataque, o Sampaio Corrêa não deixou o Náutico respirar nos últimos minutos. Aos 35, Eloir chutou forte da entrada da área, e a bola bateu no travessão. Já aos 37, a pressão tricolor foi recompensada: após troca de passes, Esquerdinha foi lançado na grande área e serviu Salatiel Junior, que anotou o segundo gol do Tubarão. A festa tricolor, entretanto, durou pouco, já que Matheus Carvalho, aos 39, puxou o contragolpe, chutou por baixo das pernas de Andrey e decretou o empate que deu o primeiro título nacional da história do Náutico.

Jefferson comemora o empate do Náutico. (Foto: De Jesus / O ESTADO)

FICHA TÉCNICA

SAMPAIO CORRÊA: Andrey; Everton, Odair (Alex Henrique), Paulo Sérgio e João Victor; Ferreira, Lucas Hulk (Ulisses) e Eloir; Esquerdinha, Kauê (Rodrigo Andrade) e Salatiel Junior. Treinador: João Brigatti

NÁUTICO: Jefferson; Hereda (Jimenez), Diego, Fernando Lombardi e Willian Simões; Josa, Jhonnatann e Jean Carlos; Matheus Carvalho, Wallace Pernambucano (Jeferson Nem) e Álvaro (Danilo Pires). Treinador: Gilmar Dal Pozzo

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.