Luto

“Referência”, “ícone”, “líder”: veja repercussão da morte de Bita do Barão

Políticos e entidades religiosas lamentaram o falecimento do babalorixá nesta quinta-feira (18).

Imirante.com

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h13
Bita do Barão morreu nesta quinta-feira (18).
Bita do Barão morreu nesta quinta-feira (18). (Reprodução / Facebook)

CODÓ – Líder umbandista mais conhecido do Brasil, Bita do Barão teve sua morte confirmada pela família na tarde desta quinta-feira (18), na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital em Teresina (PI), depois de 10 dias de internação por causa de problemas renais e infecção pulmonar. A morte do babalorixá, que residia no município de Codó, teve ampla repercussão no Maranhão, com várias notas de pesar de políticos e entidades religiosas.

Leia também:

Morte do babalorixá Bita do Barão é confirmada pela família

Federação de Umbanda e Astro de Ogum lamentam morte de Bita do Barão

Em estado grave, Bita do Barão é liberado para ficar com a família

A ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney, manifestou seu pesar com o falecimento do líder umbandista. “Bita do Barão será sempre para o Maranhão e para o mundo uma referência de preservação do culto e religião de matrizes africanas. Externo o meu pesar aos familiares, amigos e seguidores do Babalorixá. Que Deus o tenha”, afirmou Roseana.

A Federação de Umbanda e Culto Afro-brasileiro do Maranhão (FUCABMA), onde Bita do Barão atuou como vice-presidente, também lamentou a morte do babalorixá.

“Diante de sua esplendorosa trajetória espiritual no plano terrestre, pela qual expressamos gratidão pela honrosa oportunidade de aprendizado, temos a certeza que o Pai Bita do Barão terá lugar de destaque não apenas na memória do Povo de Santo como a de que também será bem recebido no Orum. Inspirados em sua história, seguimos na profissão de fé em busca da construção de um meio social mais humano, tolerante e amoroso que a Umbanda nos motiva”, diz a nota da FUCABMA.

O vereador e pai de santo Astro de Ogum (PR), vice-presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, ressaltou a importância de Bita do Barão para a religião umbandista. “Foi com muita tristeza e pesar que recebi a ligação da neta do Bita, informando sobre o seu falecimento. A Umbanda perde um dos seus maiores filhos nesta quinta feira santa. Neste momento de dor pela perda, manifesto condolências aos familiares, amigos e admiradores”, lamentou Astro.

Terreiro de religião africana mais antigo de São Luís, a Casa das Minas disse que recebeu, com muito pesar e tristeza, a notícia do falecimento de Bita do Barão. “Grande ícone da cultura e umbanda, ele deixa um legado, saudades, muitos corações quebrados, mas também lindas lembranças, que servem de consolo aos que ficam e sofrem com sua ausência”, diz a nota.

O Governo do Maranhão, através da Secretaria de Estado da Igualdade Racial (SEIR), também emitiu nota sobre a morte de Bita do Barão. “Neste momento de perda para as comunidades de matriz africana, o Governo do Maranhão se solidariza com a família e com as lideranças religiosas dos cultos afros”, diz a SEIR.

Velório e sepultamento

O corpo de Bita do Barão chegou a Codó na noite desta quinta-feira e será velado na Tenda Espirita de Umbanda Rainha de Iemanjá Palácio de Iansã, onde serão realizadas as cerimônias fúnebres. O enterro será no Cemitério Central, em data a ser definida pela família do religioso.

Bita do Barão

Wilson Nonato de Souza, o Bita do Barão, era o babalorixá mais conhecido do Brasil e tinha 86 anos de idade cronológica. Bita morava na cidade de Codó, no Palácio de Iansã, onde recebia diversas pessoas, muitas delas influentes, como políticos e famosos.

No palácio, Bita do Barão realizava rituais de incorporação, consultas, entre outras atividades ligadas à Umbanda. Médium desde a juventude, Wilson Nonato recebeu o apelido de Bita, porque era agitado como um bode e, na linguagem do interior do Maranhão, bita significa bode. Já o barão, é uma referência ao Barão de Guaré, a entidade que o pai de santo recebia.

Em 1954, Bita do Barão fundou sua Tenda Espírita de Umbanda, Rainha Iemanjá, que recebeu personalidades, entre políticos e artistas.

Seu poder aquisitivo também cresceu e, na cidade de Codó, ele mantém projetos sociais, além de festas religiosas que atraem pessoas do mundo todo.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.