Câmara Municipal de SL

Desequilíbrio e custos financeiro do sistema de transporte foram temas abordados na CPI

Vereadores de São Luís questionaram convidados ainda sobre a responsabilidade pela manutenção, reforma e funcionamento dos terminais da integração.
Imirante com informações de assessoria11/01/2022 às 18h16
Desequilíbrio e custos financeiro do sistema de transporte foram temas abordados na CPISessão da CPI do Transporte Público ouviu empresário, rodoviário e servidor da SMTT (Paulo Soares)

SÃO LUÍS - A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte Público da Câmara Municipal de São Luís ouviu o empresário Gilson Neto, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) entre agosto de 2018 e janeiro de 2022, e Israel Petrus, então secretário adjunto da Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (SMTT).

Esta foi a 5ª reunião ordinária da CPI do Transporte, que tem o objetivo de analisar a licitação realizada em 2016 e os contratos de concessão aos empresários que operam o sistema de transporte público.

Durante a reunião, os vereadores Chico Carvalho (PSL), Álvaro Pires (PMN), Octávio Soeiro (Podemos) e Jhonatan Soares, co-vereador do Coletivo Nós (PT) apresentaram questionamentos aos convidados referentes à licitação e à operação do sistema de transporte público ludovicense.

CPI do Transporte Público buscará documentos na SMTT

CPI do Transporte Público aprova regimento de trabalho na Câmara de SL

CPI do Transporte Público ouve primeiros convidados hoje

Depoimentos

Questionado a respeito da responsabilidade das empresas sobre os terminais de integração de São Luís, Gilson Neto afirmou que os empresários são responsáveis apenas por aspectos relacionados à manutenção. “A manutenção é de responsabilidade das empresas, mas a propriedade é do município. A manutenção não inclui obras estruturais”, alegou.

Quanto ao suposto desequilíbrio financeiro do sistema agravado durante a pandemia de Covid-19, Israel Petrus declarou que a SMTT tomou as medidas necessárias para manter o equilíbrio da operação. “O município adequou toda a operação do sistema por causa da pandemia, equilibrou oferta e demanda. Além disso, teve também o subsídio do Governo Federal e o decréscimo no valor do combustível. Ações suficientes para manter o equilíbrio”, destacou.

Isaías Castelo Branco, então presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, também convidado a participar da reunião, justificou sua ausência e solicitou adiamento de seu depoimento.

Nova reunião da CPI do Transporte acontecerá na próxima terça-feira, 18, às 9h.

Mais

Confira, abaixo, alguns dos temas tratados:

- Manutenção dos terminais de integração;

- atuação do SET e da SMTT durante a pandemia;

- destinação da verba arrecadada pela bilhetagem eletrônica e nas catracas de entrada dos terminais;

- fiscalização do cumprimento das obrigações contratuais por parte das empresas;

- suposto desequilíbrio financeiro do sistema;

- possíveis soluções para a problemática do transporte público;

- remuneração, condições de trabalho e demissão de cobradores de ônibus durante a pandemia;

- tamanho e condições das frotas de ônibus do sistema de transporte coletivo da capital;

- diálogo entre SMTT e Conselho Permanente de Usuários e Prestadores de Serviços de Transporte;

- custos de operação do sistema.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

Selo IVC
© 2019 - Todos os direitos reservados.