Cidades | Sem folia

Cancelamento do Carnaval causa impacto no comércio

Varejistas alegam que as vendas diminuíram, e alguns preferiram optar por outros produtos
Bárbara Lauria / O Estado10/02/2021
Cancelamento do Carnaval causa impacto no comércioAdereços de Carnaval nas prateleiras, só o que sobrou do ano passado (De Jesus / O ESTADO)

São Luís – Com o cancelamento das festas de Carnaval no Maranhão, as tradicionais máscaras, chapéus coloridos, serpentinas e fantasias deixaram de ser os principais itens nas listas de compras de fevereiro. Ao passar pela Rua Grande, maior centro comercial da capital, vitrines que no mês de fevereiro já estariam decoradas para a folia, neste ano optaram por não vender produtos de Carnaval.

Simone Lopes é dona de loja de roupas e todos os anos costuma produzir uma linha específica para a folia. Apesar de ser seu segundo maior período de vendas, ficando atrás apenas das festas de fim de ano, ela optou por não lançar uma nova coleção. “Realmente todos os anos nós realizamos uma coleção de Carnaval, mas este ano não fizemos por causa das restrições de contato. Então, a gente entende que você promover uma coleção, você está promovendo o contato físico, a aglomeração, que é exatamente o que todo mundo não precisa. Essa foi nossa política, claro que financeiramente não foi bom, mas optamos pela segurança”, explicou.

Camila Abreu e sua prima, Maria Lua, também passaram pela situação. Apaixonadas por artesanato, as irmãs viram a produção manual de adereços para o Carnaval por meio das redes sociais como uma forma de renda extra. Contudo, este ano, elas usaram suas habilidades para a produção de outros produtos. “O Carnaval é uma época só, então a gente optou por expandir o serviço pra manter o engajamento em outras épocas do ano e também aumentar o número de clientes”. 2021 será o primeiro ano em que as jovens não produzirão em grande escala para o Carnaval. Hoje, as primas vendem produtos como objetos de decoração, bijuterias e doces.

Carnaval em casa
Apesar das festas terem sido canceladas, muitas famílias planejam organizar seu próprio Carnaval, e foi pensando nisso que algumas lojas apostaram na venda de produtos para decorações e enfeites. Em uma loja de Maquiagem, bijuterias e produtos de decoração, localizada na Rua Grande, comerciantes aproveitaram o estoque guardado do Carnaval de 2020.

“Decidimos não comprar um estoque novo, pois com o cancelamento das festas, imaginamos que as vendas seriam baixas, porém, tem aqueles que vão fazer o Carnaval em casa, com decoração, fantasias, maquiagem a caráter e adereços, então estamos apostando nisso”, contou a vendedora Vanessa Gaspar.

Porém, mesmo com as adaptações, a vendedora enfatiza que as vendas estão fracas. “O Carnaval é nossa terceira época do ano com maior número de vendas. Normalmente aqui fica cheio de pessoas, mas está vazio e com poucos produtos saindo”.

Em outra loja que vende produtos diversos para casa e festas, o Carnaval continuou sendo o tema de decoração de suas vitrines. Mesmo com a suspensão das festas, o local ainda vende desde fantasias a serpentinas para jogar durante a folia. De acordo com um dos atendentes, o objetivo foi justamente àqueles que ainda vão comemorar dentro de casa e, mesmo com menos clientes, o atendente ressaltou que ainda há uma alta procura pelos adereços Carnavalescos.

Suspensão do feriadão
Com o aumento dos casos de Covid-19 no estado, o governador do estado, Flávio Dino, suspendeu as festividades de Carnaval e, consequentemente, os dias facultativos referentes a data (segunda-feira de Carnaval, 15 e terça-feira de Carnaval, 16), considerando-os dias normais para o serviço público estadual.

Por isso, o comércio de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa funcionará normalmente, onforme a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), seus sindicatos empresariais filiados, o Sindicato dos Empregados no Comércio de São Luís (Sindicomerciários) e o Sindicato dos Empregados no Comércio e Serviços de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

De acordo com a vendedora Vanessa Gaspar, o funcionamento normal do comércio nessas datas serão uma alternativa para recompensar a baixa nas vendas. “Uma forma de recuperarmos um pouco das vendas que perdemos será continuando vendendo nesses dias que seriam o Carnaval. Vamos continuar abertos e funcionando normalmente”, explicou

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte