Artigo

Eleição em 2018: missão exitosa

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h27

Realizar eleições é a mais importante tarefa que cabe à Justiça Eleitoral e que exige uma série de providências que são executadas com bastante antecedência, de modo que se possa cumprir todo o planejado.

E no ano em que comemoramos os 86 anos de instalação do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, tenho a honra de presidir as eleições no 2º mais antigo Tribunal Eleitoral do país.

Com eficiência, procuramos transmitir ao eleitorado maranhense a importância do voto responsável e com critérios, do voto consciente, do engajamento dos jovens no processo eleitoral, do combate às práticas ilícitas, não apenas para cumprir com nossa obrigação constitucional de realizar as eleições, mas também despertando no eleitor a importância da sua participação em momento nacional que exigiu de todos nós profunda reflexão e muita responsabilidade em nossas escolhas.

Visando capacitar ainda mais nossos magistrados e promotores eleitorais e servidores da justiça eleitoral, promovemos em parceria com a Universidade CEUMA o Seminário de Direito Eleitoral, cujo tema foi Reforma e Crise Política: Desafios da Justiça Eleitoral, trazendo à nossa cidade os mais renomados juristas eleitorais do país.

E, através de um exitoso trabalho preventivo, elaborado por brasileiros responsáveis e conscientes de suas responsabilidades profissionais, que se juntaram ao TRE/MA, através do Comitê de Segurança Institucional, composto pelos Comandantes da Polícia Militar do Maranhão; do Corpo de Bombeiros Militar; do 24º bis, da Capitania dos Portos do Maranhão; do Centro de Lançamento de Alcântara; da Polícia Federal, da Polícia Civil; da Polícia Rodoviária Federal; da ABIN; da Procuradoria Geral de Justiça; do Ministério Público Federal e de Promotores de Justiça, pudemos propiciar aos eleitores a tranquilidade necessária para termos, naqueles dois domingos de votação, uma festa cívica, sem qualquer incidente significativo, garantindo que a verdadeira vontade do eleitor fosse respeitada.

A criação do Comitê Consultivo de Internet para Combater as fakes news, o primeiro dentre os Tribunais Eleitorais do país, composto igualmente por valorosos brasileiros, que fez com que quase nenhuma notícia falsa divulgada em nosso estado, pudesse interferir e alterar a vontade soberana do eleitorado.

A imprensa maranhense, em todas as suas modalidades, muito nos ajudou no combate às chamadas fakes news, procurando divulgar fatos verdadeiros e esteve sempre presente, acompanhando toda nossa atuação, dessa forma, atestando o rigor do nosso trabalho, comprometido com a seriedade, imparcialidade e com absoluta transparência.

Realizamos uma eleição que, pelo volume de demandas, exigiu um esforço coletivo e harmonioso de todos nós, juízes eleitorais, cujas decisões foram respeitadas e muitas delas confirmadas pelo Tribunal Superior Eleitoral.

A verdade é que a maioria dos eleitores brasileiros, democraticamente, através do voto livre e soberano, transmitiu induvidosa mensagem de que não mais aceita a velha política - refiro-me àquela carregada de práticas nefastas, geradora de corrupção e beneficiada pela impunidade. Quer, como todos nós queremos, um Brasil pacífico, mas seguro e eficiente, com autoridade, ordem e progresso.

Com a diplomação daqueles que foram os escolhidos democraticamente para o Executivo e o Legislativo do nosso Estado e para serem nossos representantes no Senado e Câmara Federal, temos a consciência de que encerramos nossa missão, com êxito. Agora é esperar que as esperanças e mudanças demonstradas pela vontade popular seja o norte de todos os senhores e senhoras eleitos para a próxima legislatura.

Ricardo Duailibe

Desembargador, presidente do TRE/MA

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.