O Mundo | 17 anos depois

Mais de mil vítimas do 11/9 ainda não foram identificadas

Novas tecnologias na análise de DNA dão esperanças, embora processo seja dificultado por sepultamento prematuro de vítimas
12/09/2018

NOVA YORK - Um avanço na análise de DNA está ajudando a identificar mais vítimas dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 em Nova York, mas a evolução anda a passos lentos. Para as famílias que tiveram os restos mortais de seus parentes possivelmente sepultados junto ao aterro de Staten Island, a novidade não oferece muito consolo. A dor dos familiares das mais de mil vítimas não identificadas do atentado continua após 17 anos.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte