Editorial

Correndo atrás da saúde

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h46

Estar com o peso dentro dos padrões saudáveis, com uma alimentação equilibrada com os principais macronutrientes, feliz e com bem estar mental em dia é o sonho de muita gente. E deveria ser também a regra. Mas a vida moderna cheia de atribulações e com prioridades erradas (ou pouco definidas) tem levado as pessoas a descuidarem da saúde - seja pela negligencia, pelo excesso de zelo ou pela desinformação.

Neste domingo, dia 31, acontece mais uma edição da Corrida São Luís, realizada pela TV Mirante, na Avenida Litorânea. A iniciativa tem como objetivo exercitar o corpo, a mente e, sobretudo, valorizar a prática esportiva e a qualidade de vida dos maranhenses. Parte do calendário esportivo da cidade, o evento é esperado com ansiedade por atletas amadores e profissionais.

Este ano, repetindo a parceria do ano passado, O Estado publica na mesma data da corrida o suplemento especial Viva Mais - o material também veio como brinde nos kits dos atletas. Desta vez, escolhemos a alimentação e as dietas como tema central. O assunto tem despertado cada vez a atenção de quem está buscando uma vida mais saudável, ele ainda desperta muitas dúvidas. Afinal, o ovo faz mal ou faz bem? O açúcar é inofensivo? Qual a dieta ideal para mim? Dentre tantas informações (e desinformações) que surgem diariamente, fica difícil separar o joio do trigo. Por isso, a atenção especial que dedicamos ao tema.

Na mesma medida em que cresce o número de pessoas interessadas em cuidar mais do corpo, aumentam os casos de pessoas doentes e obesas ou com sobrepeso num grau que os médicos, nutricionistas e organizações de saúde já consideram a obesidade uma perigosa epidemia.

Entre os mais jovens então, os números assustam. A Pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL 2015), do Ministério da Saúde, apontou que a dieta dos adolescentes brasileiros é caracterizada pelo consumo de alimentos tradicionais, como arroz (82,0%) e feijão (68,0%), e ingestão elevada de bebidas açucaradas (56,0%) e alimentos ultraprocessados, como refrigerantes (45%), salgados fritos e assados (21,88%), e biscoitos doces e salgados, sendo o refrigerante o sexto alimento mais referido (45,0%).

Em relação aos adultos brasileiros, 18,9% são obesos. Em 2010, era 15%. Aumenta com a idade, chegando a 32,2% nas mulheres com 55 a 64 anos. Foi verificado ainda que 53,9% dos adultos estão acima do peso nas capitais brasileiras. É maior entre homens (57,6%) que mulheres (50,8%).

Os números nos mostram uma realidade alarmante: estamos a cada dia comendo pior, privilegiando comida industrializada e abusando do açúcar e de alimentos processados. Se for por desinformação, hoje, O Estado espera estar contribuindo com conteúdo de qualidade para que os rumos da saúde dos brasileiros encontrem o caminho correto, o da saúde. No mais é se preparar para enfrentar os 5 ou 10km da Corrida São Luís, para os que se inscreveram, ou ficar na torcida pelo que estão dispondo da sua manhã de domingo para ganhar em saúde.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.