Coluna PH

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h15
Reunidos na abertura da mostra: Abraão Valinhas Jr., Cônsul Honorário de Portugal no Maranhão; Afonso Domingos Borges Ferreira; Luís Faro Ramos, Embaixador de Portugal no Brasil; e Francisco Rocha, filho de português
Reunidos na abertura da mostra: Abraão Valinhas Jr., Cônsul Honorário de Portugal no Maranhão; Afonso Domingos Borges Ferreira; Luís Faro Ramos, Embaixador de Portugal no Brasil; e Francisco Rocha, filho de português

Jornais Centenários
Está aberta ao público a interessante mostra “Jornais Centenários do Brasil e Portugal: Um Legado Cultural”. Uma verdadeira viagem pela história dos países, reunindo dois séculos de história em 54 capas de jornais impressos, sendo 36 de Portugal e 18 do Brasil.
Fatos como a abolição da escravatura no Brasil, noticiada em 13 de maio de 1888 no jornal O Fluminense, entre muitos outros acontecimentos marcantes, podem ser conferidos na mostra até o dia 19 de novembro. De segunda a sexta, das 8h às 17h no Convento das Mercês, no Salão “Casa de Portugal”.
A solenidade de abertura que aconteceu no último sábado contou com a presença de Berta Nunes, Secretária de estado das Comunidades Portuguesas, que veio ao Brasil prestigiar o evento. Ela estava acompanhada do embaixador de Portugal no Brasil Luís Faro Ramos, e da Vice – Cônsul do Portugal em Belém Maria Fernanda Pinheiro, entre outras autoridades e assessores.
Trata-se da promoção conjunta da Associação Portuguesa de Imprensa; Associação de Imprensa de Pernambuco; Vice-Consulado de Portugal em Belém; Camões Portugal / Instituto da Cooperação e da Língua; Consulado Honorário de Portugal em São Luís e da Sociedade Humanitária 1º de Dezembro; com apoio do Conselho da Comunidade Luso Brasileira do Maranhão.
Essa exposição consolida a importância dos jornais impressos como alicerces da democracia e guardiões da história mundial. Eis um belo programa, especialmente para estudantes e jornalistas.

Confesso que vivi...
Neste ano da graça de 2021, a imprensa maranhense completa 200 anos e o jornal O Estado do Maranhão, completou 62 anos no dia 1º de maio, sendo que 14 anos como Jornal do Dia e 48 como O Estado do Maranhão, ambos editados pela Gráfica Escolar e Editora Jorbolso.
Em quase meio século de existência, já com o nome O Estado do Maranhão, o jornal reuniu nomes como Bandeira Tribuzi, que coordenou a direção editorial até seu falecimento em 8 de setembro de 1977, Luiz Carlos Bello Parga e Joaquim Itapary, que ficaram à frente do matutino após o falecimento do autor de “Pele e Osso”.
Durante sua trajetória, o jornal sempre foi pioneiro em inovações técnicas e culturais, sendo um dos primeiros desta região a utilizar o sistema de impressão em offset, um dos pioneiros do estado a ter um caderno explorando a arte e a cultura, e buscou sempre as novidades da informática, sendo um dos primeiros do Maranhão a informatizar seu sistema de composição, as redações, a editoração e todos os setores do jornal.
Tenho a glória de ter participado desde a primeira hora desse capítulo especial da história da nossa imprensa. E hoje festejo mais esta manhã em que tomo o primeiro café com o leitor, como tem acontecido há 52 anos, juntando minha passagem pelo Jornal do Dia, Jornal de Bolso e O Estado do Maranhão.
Será esta a última manhã perfeita para agradecer a essa senhora, a crônica, gênero fugaz pela própria natureza, mas que tem o berço dos quinhentistas portugueses como Diogo do Couto e Pero Vaz de Caminha. Senhora que passa por Machado de Assis, Lima Barreto, Carlos Drummond de Andrade, José Chagas, o velho Rubem Braga e Fernando Sabino – dois dos mais emblemáticos mestres dessa arte. Sabino, que recebi algumas vezes em São Luís, orgulhava-se de sua linhagem e defendia a descontraída senhora, que tanto pode ter a brevidade de história curta, como frequentar os mistérios do conto ou, modernamente, assumir exortações indignadas, como nosso duro – e às vezes repugnante – cotidiano de política não-civilizada.
Mas o que é mesmo a crônica? Um texto que deve ser leve, curto e solto, e que Sabino comparou com as doenças efêmeras – “se não é aguda, é crônica”…
Trata-se, sem dúvida, de um texto “benigno”.
Sempre comparei a crônica a um guarda-sol, espécie de oásis onde o leitor se abriga da inclemência do noticiário. Uma pausa para o beduíno beber aquela água fresquinha, escapando daquela tempestade de areia.
A crônica de jornal, ultimamente, precisa ter essa peculiaridade: estar sempre pendurada na janela dos acontecimentos, partilhar com o leitor o “momento” desse rapaz sem juízo, o Brasil.
Na verdade, jornalismo e literatura não se estranham tanto quanto sugere a crítica. São fortemente complementares – e uma das melhores definições que li de jornalismo é esta: “jornalismo é a literatura sob pressão”. Ao que eu acrescentaria: e a crônica é a literatura com pressa.
Drummond, que além de cronista magistral era o poeta que era, certa vez pediu desculpas a um leitor que o acusara de ser frívolo:
– É preciso que, em meio a tantos desastres, se tenha muita prática para duas conchinhas na praia, um colibri sugando o pólen, o rebolado de uma corista, um verso que não seja épico, uma citação que não seja pedante…
Um bate-papo simples com o leitor, sobre a vida e o nada.
Deixo aqui minhas desculpas por não ser um Drummond, ou o velho Braga, mas tenho ciência de que nunca desrespeitei essa idosa senhora, a crônica de jornal que você, leitor, a partir desta semana, não vai mais poder ler em papel impresso.
É com o coração sangrando que digo aos meus fiéis leitores de tantos anos em jornal impresso:
– Foi um prazer!

TRIVIAL VARIADO

O Instituto de Longevidade MAG está disponibilizando 328 cursos totalmente on-line e gratuitos. As capacitações são abertas para toda a população e é composta por videoaulas, com o objetivo de aprimorar competências adquiridas ao longo da vida profissional.

Tem mais: as inscrições devem ser feitas pelo site do Instituto e não exigem formação prévia ou limite de idade. Os módulos disponíveis abordam temas como gestão financeira, com foco no controle das finanças pessoais; marketing, com módulos sobre gestão e atendimento mais eficientes e maneiras de utilizar as redes sociais em benefício dos negócios; informática, com aulas sobre ferramentas como Excel, Word, PowerPoint e Google.

Em tempo: além disso, oferece curso completo de comunicação oral e inglês básico. No final, o participante testa os conhecimentos adquiridos ao longo das aulas para receber o certificado.
É simplesmente sensacional o clipe “Pérola de espuma”, do cantor e compositor maranhense Rommel Ribeiro, já disponível nas plataformas digitais. Rommel está há vários anos radicado no Canadá.

O empresário Roberto Albuquerque e Virgínia vão reunir amigos no próximo dia 29, em seu belo apartamento na Península da Ponta d´Areia, para homenagear o amigo desembargador do Trabalho Gerson de Oliveira Costa Filho.

DE RELANCE

Clipe de Chico César e Baleiro
A atmosfera dançante dos salões de reggae do Maranhão toma conta de “Lovers”, o novo clipe que reúne Chico César e o maranhense Zeca Baleiro, e chega hoje, às 11hy, no youtube dos artistas no dia 21 de outubro, às 11 horas. Para quem não sabe, Lovers é um subgênero de reggae que surgiu em Londres nos anos 70. “É mais romântico, bom pra dançar agarradinho e é muito popular no Maranhão, único lugar no mundo onde se dança reggae coladinho”, ensina Baleiro.

Clipe de Chico César e Baleiro...2
Chico e Zeca começaram a compor bastante juntos quando os shows e gravações pararam por conta da pandemia. Desde maio de 2020 até o início deste ano foram mais de 20 composições – reggaes, baladas, xotes e rocks. Como os dois compõem letra e música, o processo de criação foi bem variado, com muitas experimentações. Tem letra de Chico com música de Zeca e vice-versa, mas tem também canções criadas em conjunto, refrão de um que o outro continuou, enfim, melodias e versos fluindo de ambos os lados.

Clipe de Chico César e Baleiro...3
“Lovers” nasceu do refrão, já com letra e música de Baleiro, que Chico desenvolveu. “Lovers me surgiu como um lema: ‘vou cantar lovers para os haters’. Como se fosse um chamamento nesse tempo de ódio e intolerância, quase como um hino conclamando as pessoas para uma atitude mais amorosa”, comenta Zeca. Com argumento de Chico e Zeca, o clipe é uma realização da Deeper Produções. “Trabalhar com dois grandes artistas da nossa música, como Zeca e Chico, é sempre motivo de muita honra e alegria. Nesse momento tão singular e difícil de isolamento que vivemos, a música e a arte são o frescor que a alma precisa! Fizemos tudo de forma remota e com muito carinho! Desejo a todos nós muito love e lovers!”, comemora Natália Tavares,
diretora de finalização.

Clipe de Chico César e Baleiro...4
Desde que anunciaram que preparavam um álbum juntos, marcando a retomada da parceria inaugurada há quase 30 anos, Chico e Zeca lançaram o single duplo “Lovers + Respira” e o videoclipe “Respira”. Apesar de estarem envolvidos em muitos projetos em paralelo, Chico e Zeca estão empenhados em finalizar o álbum. “É uma grande realização pra gente, o coroamento de uma história de 30 anos de amizade e parceria”, comenta Chico. Com produção de Swami Jr., que já atuou com ambos em shows e discos, Chico e Zeca vêm trabalhando em 10 canções compostas durante esse período.

Fontes renováveis
Estamos em época de crise hídrica, custos cada vez mais elevados de energia elétrica e todos, sem exceção, buscam alternativas para evitar mais gastos. Sendo assim, que tal monitorar o consumo e, por meio de fontes renováveis, economizar até 20% no valor das contas? É o que decidiram os responsáveis pelo maior condomínio de São Luís, o Ilê Saint Louis. O grupo assinou contrato com a TYR Energia para economizar R$ 230 mil com os custos de energia elétrica.

Fontes renováveis...2
A startup e o condomínio, no bairro Ponta d’Areia, terão uma parceria de cinco anos. O contrato inicial projeta uma economia para o local a custo zero, para toda a área comum do Ilê Saint Louis, que terá energia mais barata e 100% renovável, provindas de fontes eólica, solar, hídrica e de biomassa (lixo). O condomínio ganhará medidores inteligentes TYR, que garantem monitoramento em tempo real do consumo de energia. Por meio do aplicativo ou da plataforma da TYR, o cliente pode checar seu consumo e incluir metas para redução de sua conta de luz.

Para escrever na pedra:
“Qualquer um que diga que os homens de verdade não choram, nunca jogou futebol com verdadeira paixão”. De David Beckham, lenda do futebol inglês.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.