Em São Luís

Massoterapeuta é denunciado por assédio sexual

As vítimas informaram que o suspeito mantinha uma postura de trabalho inadequada, durante as sessões estéticas, além de importunações em redes sociais e mensagens de caráter libidinoso.

Imirante.com, com informações TV Mirante

- Atualizada em 18/05/2022 às 20h31
Uma das vítimas, que não quis se identificar, explicou que, por medo de represálias, adiou em um ano a denúncia de assédio.
Uma das vítimas, que não quis se identificar, explicou que, por medo de represálias, adiou em um ano a denúncia de assédio. (Foto: Reprodução / TV Mirante)

SÃO LUÍS - A Delegacia da Mulher investiga denúncias de assédio formalizadas por clientes de um homem identificado como Anderson Moreira Carvalho. O suspeito atuava como massoterapeuta, em São Luís, e era conhecido por realizar sessões de massagem em sua casa.

As vítimas informaram que o suspeito mantinha uma postura de trabalho inadequada, durante as sessões estéticas, além de importunações em redes sociais e mensagens de caráter libidinoso. À medida que os casos foram sendo relatados, nas redes sociais, outras clientes também disseram ter vivido situações semelhantes.

Leia também:

Preso suspeito de violentar sexualmente a enteada de 13 anos

Ex-vereador de Barra do Corda é preso suspeito de estupro de vulnerável

DPCA registra 49 inquéritos de estupro de vulnerável este ano

Uma das vítimas, que não quis se identificar, explicou que, por medo de represálias, adiou em um ano a denúncia de assédio. O massoterapeuta a procurou, nas redes sociais, sugerindo um encontro no qual ela estivesse com roupas íntimas.

“Ele me mandou mensagem […] me oferecendo uma parceria, para fazer quatro sessões de massagem modeladora e linfática […] achei muito estranho a atitude dele de me pedir pra ir sexy […]’’, disse a vítima. 

De acordo com a delegada Kazumi Tanaka, responsável por analisar o caso, o volume de denúncias, a partir das redes sociais, repercutiu na necessidade de formalizar a investigação do caso.

“Primeiro, nós tivemos conhecimento através de redes sociais […] várias outras mulheres colocaram que passaram pelos mesmos problemas […] ou seja, as manipulações de natureza sexual; de cunho sexual. Quando o objetivo delas era, apenas, o tratamento estético […]”, concluiu.


 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.