Sistema prisional

SL: 44 internos não voltaram a Pedrinhas após saída temporária do Dia das Mães

No total, 685 deixaram a unidade prisional no dia 4 de maio e deveriam retorna até 18h, do último dia 10, conforme determinação judicial.

Imirante.com

Um total de 44 custodiados de Pedrinhas não retornaram após saída temporária do Dia das Mães.
Um total de 44 custodiados de Pedrinhas não retornaram após saída temporária do Dia das Mães. (Divulgação)

SÃO LUÍS - Um total de 44 custodiados do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, que foram beneficiados com a saída temporária do Dia das Mães, não voltaram ao presídio no prazo estabelecido pelo Poder Judiciário, que foi no dia 10 de abril, segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Leia também em: 

Justiça de Caxias determina saída temporária fora dos feriados

Homem é preso horas após ter sido beneficiado com saída temporária de Natal

Ainda de acordo com a Seap, 685 internos que foram beneficiados com a Saída Temporária do Dia das Mães. Eles deixaram as unidades prisionais do Estado no dia 4 de maio e deveriam retornar até 18h, do último dia 10. Aqueles que não cumpriram o prazo de retorno estão sob pena de regressão de regime e são considerados como foragidos da Justiça.

Na saída temporária da Páscoa deste ano, ocorrida no mês de abril, ao todo, 620 internos de Pedrinhas foram beneficiados. Desta quantidade, 23 não retornaram no prazo estabelecido pelo Poder Judiciário. Eles também são considerados como foragidos.

Lei de Execução Penal

Conforme a Lei de Execução Penal, a saída temporária é concedida pelo juiz, após manifestação do Ministério Público estadual e da administração penitenciária, aos presos que atendem aos requisitos de comportamento adequado; compatibilidade do benefício com os objetivos da pena e cumprimento mínimo de 1/6 da pena, se o condenado for primário, e 1/4 se reincidente. 

Não tem direito à saída temporária o condenado que cumpre pena por praticar crime hediondo que resultou em morte da vítima, segundo a Lei nº 13.964/2019. Os custodiados que não retornaram e não cumpriram a determinação estão sob pena de regressão de regime e outras sanções. 


 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.