Femincídio

Homem que matou adolescente em São João Batista é condenado a mais de 25 anos de prisão

Segundo a denúncia do Ministério Público, na hora do crime, Dulcimara Pinto Ferreira estava segurando uma criança de apenas seis meses de vida no colo. 

Divulgação/CGJ-MA

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
Dulcimara Pinto Ferreira morreu após ser alvejada com um tiro na cabeça.
Dulcimara Pinto Ferreira morreu após ser alvejada com um tiro na cabeça. (Foto: Divulgação/Redes Sociais)

SÃO JOÃO BATISTA – O Tribunal do Júri condenou, na última terça-feira (29), um homem acusado de prática de feminicídio em São João Batista, que teve como vítima a adolescente de apenas 16 anos de idade, Dulcimara Pinto Ferreira, que convivia maritalmente com o réu.

Relembre o caso:

Adolescente grávida é morta após ser baleada na cabeça no interior do Maranhão

Preso suspeito de matar adolescente grávida em São João Batista​

A sessão do Tribunal do Júri foi presidida pelo juiz titular da Comarca de São João Batista, Moisés Souza de Sá Costa. Ao final, Valdeilson Rocha Sousa foi condenado por vários crimes, entre eles o de feminicídio consumado, recebendo por este a pena de 19 anos e onze meses de prisão. Pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, ele recebeu a pena de 1 ano e cinco meses. Pelo crime de cárcere privado, Valdeilson recebeu a pena de 3 anos e nove meses.

A denúncia do caso, que chocou a população da cidade, narra que em 25 de julho do ano passado, no Povoado Arrebenta, localidade da zona rural de São João Batista, o acusado, conhecido como “Manco”, teria desferido um tiro fatal em Dulcimara. Segue narrando que o denunciado estava na casa de sua mãe, junto com a mulher, quando o irmão e o tio da vítima a convidaram para ir a uma festa. Quando conversavam com a vítima sobre a festa, foram interrompidos por ‘Manco’, que disse que sua mulher não iria a lugar algum, deixando-a constrangida.

Insatisfeito com a intromissão agressiva de Valdeilson Sousa, o irmão de Dulcimara disse que ela iria sim, e que o acusado não era pai dela para impedi-la. Neste momento, Valdeilson ameaçou o adolescente com uma arma de fogo, do tipo espingarda, que possuía dentro do seu quarto, ameaçando dispará-la, mas foi impedido por sua mãe.

Segue relatando que, após aparentemente as coisas terem se acalmado, o acusado ficou no quarto sozinho com Dulcimara, momento em que teria disparado a arma de fogo na direção da mulher, assassinando-a com um tiro na cabeça. Na hora do crime, ela estava segurando uma criança de apenas seis meses de vida no colo.

Após o cometimento do crime o denunciado evadiu-se do local, permanecendo foragido por aproximadamente três meses quando, em atuação integrada da Delegacia de Polícia Civil de São João Batista e a Superintendência do Interior e a Superintendência de Homicídios, a Polícia Civil conseguiu capturar Valdeilson Sousa, escondido dentro de um barracão no município de Raposa.



Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.