Atos antidemocráticos

Deputado denuncia Flávio Dino por crime de prevaricação

O gaúcho questiona porque o ministro não acionou as forças policiais federais

Ipolítica

Flávio Dino atua como ministro da Justiça e Segurança Pública
Flávio Dino atua como ministro da Justiça e Segurança Pública (Foto: Divulgação)

BRASÍLIA - O deputado federal Sanderson (PL-RS) protocolou nesta terça-feira (17), na Procuradoria-Geral da República (PGR) uma representação contra o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino (PSB) por crime de prevaricação.

É a segunda denúncia contra Dino sobre o mesmo tema. Na semana passada  o deputado federal Nikolas Ferreira (PL-MG) havia protocolado no Supremo Tribunal Federal (STF) uma notícia-crime contra o ex-governador do Maranhão por “omissão intencional” em relação aos ataques do dia 8 de janeiro na Praça dos Três Poderes. 

O ministro Alexandre de Moraes, contudo, arquivou a notícia-crime, com a sustentação de que não havia indícios mínimos de participação do ministro de Dino nos atos. 

Prevaricação

Na peça encaminhada à Procuradoria-Geral da República nesta terça-feira, contudo, Sanderson reafirma que Dino prevaricou diante da invasão à Praça dos Três Poderes. 

“A impressão é que essa omissão pode ter sido planejada e proposital, tudo com o objetivo de obter vantagem política com o fatídico quebra-quebra”, apontou o parlamentar.

No documento, Sanderson questiona atitude inerte de Dino, uma vez que o ministro da Justiça havia sido alertado pela Agência Brasileira de Investigação (ABIN) sobre o risco iminente de ataques públicos, no dia anterior.

“Por que o ministro da Justiça, mesmo sendo chefe da PF e da PRF, não acionou essas forças policiais federais? Queria ele o caos na Praça dos Três Poderes? As investigações dirão”, escreveu o parlamentar em seu perfil em rede social.

O MP ainda não se posicionou sobre o tema. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.