Campeonato Maranhense

Sampaio Corrêa vence o Cordino nos pênaltis e conquista o tricampeonato maranhense

Tricolor levou a melhor em decisão emocionante no Castelão e venceu o Estadual pela 36ª vez.

Gustavo Arruda / Imirante Esporte

- Atualizada em 21/04/2022 às 02h42
O Sampaio Corrêa é o vencedor do Campeonato Maranhense de 2022.
O Sampaio Corrêa é o vencedor do Campeonato Maranhense de 2022. (Paulo Soares / Grupo Mirante)

SÃO LUÍS - O Sampaio Corrêa Futebol Clube escreveu, na noite desta quarta-feira (20), mais um vitorioso capítulo no Campeonato Maranhense e ampliou sua hegemonia na competição. Em final realizada no Estádio Castelão, a Bolívia Querida teve dificuldades diante de um valente Cordino, que segurou o empate por 0 a 0 no tempo normal, mas mostrou sua força na disputa de pênaltis: preciso na maioria das cobranças e contando com a estrela do goleiro Luiz Daniel, o Sampaio bateu o Cordino por 4 a 3 nas penalidades e conquistou o 36º título estadual de sua história, sendo o terceiro de forma consecutiva. De quebra, o Tricolor foi campeão invicto, com seis vitórias e seis empates em 12 jogos.

Leia também:

Luiz Daniel dá "tchau" ao Cordino e desabafa: "Aqui quem manda é o Sampaio!"

Léo Condé quer energia do título estadual do Sampaio Corrêa na Série B

Pimentinha elogia atuação do Sampaio Corrêa em final e prevê evolução na Série B

Ulisses se emociona ao comentar derrota do Cordino: "Merecíamos esse título"

Marcinho Guerreiro destaca ressurgimento do Cordino após vice estadual

Mateusinho exalta coletivo do Sampaio Corrêa na conquista do Maranhense

Focado em conquistar o tricampeonato maranhense diante de sua torcida, o Sampaio Corrêa foi superior ao Cordino durante os 90 minutos: enquanto o Tricolor acumulou chances perdidas, parando em grandes defesas de Dida Turucuí, a Onça de Barra do Corda, com Ulisses e Edrean anulados, teve dificuldades para criar oportunidades de gol, mas conseguiu segurar o empate sem gols. Na disputa por pênaltis, depois de ver o Cordino superar um prejuízo de dois gols e desperdiçar a bola do título com Jocivan, o Sampaio teve 100% de aproveitamento nas cobranças alternadas e ficou com a taça após Rosivan acertar o travessão na sétima cobrança do Cordino.

Com a conquista do Campeonato Maranhense de 2022, o Sampaio Corrêa chega aos 36 títulos estaduais e amplia a liderança no ranking de maiores vencedores, tendo 10 troféus a mais que o rival Moto Club. O Cordino, por sua vez, desperdiça sua segunda oportunidade de conquistar o Estadual pela primeira vez: em 2017, a Onça também foi vice-campeã após derrota para o Sampaio em uma decisão.

Além disso, o Sampaio Corrêa confirmou passaporte para a fase de grupos da Copa do Nordeste de 2023 com o título maranhense: antes disso, o Tricolor garantiu classificação para a próxima edição da Copa do Brasil por ter sido um dos finalistas do Estadual. O Cordino, mesmo sendo vice-campeão, confirmou calendário cheio no próximo ano, com vagas na fase preliminar da Copa do Nordeste, na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro Série D.

Agora, o Sampaio Corrêa volta todas as suas atenções para a disputa do Campeonato Brasileiro Série B. O próximo duelo do Tricolor na Segundona está marcado para a noite deste sábado (23), às 18h30, diante do Brusque, no Estádio Castelão, com transmissão da rádio Mirante AM e cobertura completa do Imirante Esporte. Já o Cordino, como já tem calendário cheio para 2023, não precisará disputar a Copa FMF no segundo semestre e pode iniciar o planejamento para a próxima temporada.

O jogo

Sampaio Corrêa e Cordino iniciaram a final no Castelão com muita cautela: enquanto o Tricolor, com maior posse de bola, trocava passes no campo de ataque, a Onça de Barra do Corda tentava ser agressiva nos contragolpes. A primeira grande chance de gol foi do Sampaio, aos cinco minutos, com Leone tentando cortar uma cobrança de escanteio de Renatinho e quase marcando contra.

Com o decorrer do tempo, o Sampaio Corrêa passou a explorar as tabelas de Mateusinho e Pimentinha pela ponta-direita, aproveitando a fragilidade ofensiva do Cordino, que insistia nas bolas longas e não conseguia chegar com perigo ao gol tricolor. Bem posicionado e agressivo, o Sampaio levou perigo aos 19 minutos: após receber passe na entrada da área, o lateral Pará arriscou o chute, e a bola tirou tinta do ângulo direito.

Na reta final do primeiro tempo, o Sampaio Corrêa intensificou a pressão sobre o Cordino. Aos 33 minutos, Gabriel Poveda recebeu cruzamento de Pará e desviou de cabeça, mas Dida Turucuí, bem posicionado, segurou firme. Pouco depois, aos 36, Eron foi lançado na grande área, chutou cruzado, e Dida Tucuruí fez uma grande defesa com a ponta dos dedos. Inspirado, o goleiro do Cordino ainda freou as finalizações de Mateusinho, aos 38 minutos, e Renatinho, em cobrança de falta aos 48.

Dida Tucuruí faz grandes defesas, e Cordino segura empate

Assim que a bola voltou a rolar no Castelão para o segundo tempo, o Sampaio Corrêa impôs uma pressão incrível sobre o Cordino, que se segurou da maneira que podia. Logo no primeiro minuto, Renatinho ficou na cara do gol após passe de Gabriel Poveda e chutou cruzado, para uma defesaça de Dida Tucuruí. Aos dois minutos, Pará tabelou com Eron, invadiu a área, bateu forte, e Dida Tucuruí salvou a Onça mais uma vez. No lance seguinte, após cruzamento de Mateusinho, Nilson Junior subiu sozinho e cabeceou por cima do gol.

Mesmo depois de acumular chances perdidas, o Sampaio Corrêa não se abateu e continuou procurando espaços na defesa do Cordino, porém, Dida Tucuruí manteve a segurança no gol da equipe de Barra do Corda. Aos 32 minutos, Pimentinha cobrou falta, Maurício desviou de cabeça, e Dida espalmou para o lado. Na sobra, a bola chegou até Pará, que chutou forte, obrigando o goleiro do Cordino a fazer mais um milagre no Castelão.

Sentindo o desgaste da partida, Sampaio Corrêa e Cordino reduziram o ritmo nos últimos minutos, mas ainda tiveram chances de garantir a vitória. Paulo Victor, aos 40, teve boa oportunidade pela Onça, porém, Luiz Daniel segurou firme. Já Maurício, aos 49, acertou o travessão após tentativa de cruzamento que bateu na defesa da equipe de Barra do Corda.

Pênaltis

Na disputa de pênaltis, o Sampaio Corrêa rapidamente abriu vantagem: enquanto Pará e Pimentinha converteram pelo Tricolor, o Cordino viu Everton chutar para fora e Leone ter sua cobrança defendida por Luiz Daniel. Depois disso, entretanto, o Sampaio perdeu três pênaltis, com Nilson Junior e Eron acertando a trave e Wesley Pionteck parando em defesa de Dida Tucuruí. O Cordino ainda reagiu com gols de Baiano e Ulisses, mas Jocivan perdeu a chance do título em pênalti defendido por Luiz Daniel.

Já nas cobranças alternadas, o Sampaio Corrêa fez dois gols com Soares e Maurício. Ferreira converteu a primeira finalização do Cordino, mas Rosivan mandou sua tentativa na trave e confirmou o título da Bolívia Querida.

FICHA TÉCNICA

SAMPAIO CORRÊA: Luiz Daniel; Mateusinho (Soares), Joécio, Nilson Junior e Pará; Wesley Dias (Maurício), Ferreira e Renatinho (Gabriel Popó); Pimentinha, Eron e Gabriel Poveda (Wesley Pionteck). Treinador: Léo Condé

CORDINO: Dida Tucuruí; Everton, Leone, Carlinhos Rocha e Jocivan; Baiano, Rosivan, Paulo Victor (Ferreira) e Nadson (Railson); Ulisses e Edrean. Treinador: Marcinho Guerreiro

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.