Impasse

Estudantes vão discutir rumos da mobilização após decisão da UFMA sobre formato das aulas

Nota sobre o calendário acadêmico 2022 foi divulgada nessa quarta-feira (12); os alunos não conseguiram dialogar com reitoria.
Imirante.com13/01/2022 às 10h41
Estudantes cobram pela volta das aulas presenciais. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – Após reunião do Conselho Superior de Ensino da Universidade (Consepe), nessa quarta-feira (12), a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) definiu seu calendário acadêmico 2022, com retorno das aulas teóricas no formato remoto, previstas para se iniciarem no mês de abril. Foi proposta ainda uma ampliação da oferta de atividades curriculares práticas e estágios de forma híbrida ou presencial para todos os cursos. No entanto, os estudantes, que realizaram um ato ontem visando sugerir uma forma de retomar gradualmente as atividades presenciais, continuam insatisfeitos.

Por telefone, na manhã desta quinta-feira (13), o presidente do diretório central de estudantes (DCE) na gestão pró-tempore, Rommel Botafogo, disse ao Imirante.com que uma nova assembleia será convocada para debater os rumos da mobilização. Ontem, os alunos encontraram o portão da reitoria da universidade fechado. Segundo Rommel, havia quatro seguranças e policiais militares que dialogaram com eles no local.

Apesar disso, ele acredita que os estudantes conseguiram acender um alerta sobre a necessidade de um diálogo com a comunidade acadêmica. “É uma conquista dos estudantes o fato de está sendo debatido o retorno presencial das aulas”, afirmou.

Leia mais:

Estudantes da UFMA fazem ato para pedir retorno gradual de aulas presenciais

Alunos da UFMA citam prejuízos causados por falta de aulas presenciais

Retorno das aulas presenciais e nota sobre "bolsonarismo" gera polêmica em redes sociais da UFMA

Há dois anos, alunos de diversos cursos estão tendo aulas apenas de forma on-line. O documento que seria entregue à reitoria aponta os protocolos de biossegurança para que as aulas possam ser ministradas presencialmente, o que, para os estudantes, contribui para uma formação profissional mais adequada. Além disso, eles sentem a necessidade de estágios e aulas laboratoriais.

Mobilização de estudantes no campus Bacanga da UFMA. Foto: Reprodução/Redes sociais.

Rommel Botafogo também levantou outra pautas importantes a serem levadas ao debate com a gestão da UFMA, como a reabertura do Restaurante Universitário, que se faz muito relevante principalmente para aqueles alunos que vivem em situação de vulnerabilidade social. Também solicita o retorno na linha de ônibus para o campus Bacanga, com mais coletivos e a ampliação do itinerário. Rommel também alertou sobre a necessidade de melhorias na Casa do Estudante.

Leia a nota divulgada ontem pelo gabinete da reitoria da UFMA, após reunião para discutir o calendário acadêmico 2022 e o formato das aulas:

“Universidade Federal do Maranhão, tendo em vista as discussões por parte da comunidade acadêmica em relação ao Calendário Acadêmico 2022, suas particularidades e o contexto da Covid-19, informa o que segue:

1) Em Reunião Extraordinária do Consepe, realizada no dia de hoje (12.01.2022), a proposta do Calendário Acadêmico de 2022 foi aprovada com ampla maioria, havendo apenas um voto contrário.

2) O modelo de calendário acadêmico de 2022 apresentado e aprovado durante a reunião propõe a ampliação da oferta de atividades curriculares práticas e estágios de forma híbrida ou presencial para todos os cursos de graduação. A oferta das aulas teóricas será em formato remoto para o primeiro semestre letivo 2022.

3) O retorno gradual das atividades acadêmicas estará condicionado à avaliação da situação da pandemia, por meio do Comitê Operativo Emergencial de Crise da UFMA (COE-UFMA), órgão consultivo da Universidade, o qual orienta sobre as melhores medidas a serem tomadas garantindo a segurança de toda a comunidade acadêmica.

4) Os colegiados dos cursos de graduação e os Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs) são os responsáveis pela definição, pelo registro e planejamento dos componentes curriculares no formato de ensino remoto, híbrido ou presencial, em conjunto com as subunidades acadêmicas.

5) Os espaços físicos da Universidade devem ser regulamentados, e o uso deve ser feito mediante agendamento, respeitando as normas de segurança sanitária e distanciamento social.

6) Importante frisar que o Calendário Acadêmico da UFMA, em comparação com as demais universidades federais, é um dos mais atualizados do país. E ainda que, desde o início da pandemia, as atividades práticas têm sido efetivadas, sob o controle e autorização dos colegiados dos cursos, em consonância com as resoluções aprovadas no Consepe.

7) Todo o esforço que a UFMA vem fazendo, desde o início da pandemia de Covid-19, está relacionado à manutenção das suas atividades, levando-se em conta, em primeiro lugar, o atendimento às condições sanitárias e a defesa da vida”.

Além do ato no campus do Bacanga, em São Luís, também houve mobilização estudantil no campus da UFMA de Imperatriz, segunda maior cidade do Estado.

Mobilização de estudantes na UFMA em Imperatriz. Foto: Reprodução/Redes sociais.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

Selo IVC
© 2019 - Todos os direitos reservados.