Medo

Profissionais de saúde reclamam de insegurança durante atendimentos no Hospital da Criança

Segundo relatos, uma médica foi agredida verbalmente, durante plantão, na noite dessa quinta-feira (10), no Hospital da Criança, em São Luís.
Imirante.com11/04/2019 às 11h50
Profissionais de saúde reclamam de insegurança durante atendimentos no Hospital da CriançaHospital da Criança, no bairro Alemanha, em São Luís. (Foto: divulgação)

SÃO LUÍS – Os profissionais de saúde que trabalham no Hospital Dr. Odorico Amaral de Matos, também conhecido como Hospital da Criança, no bairro Alemanha, em São Luís, reclamam das contantes agressões verbais e, até mesmo, físicas que têm sofrido dentro da unidade.

Agressão

Na noite dessa quinta-feira (10), mais um relato de agressão foi registrado dentro do Hospital da Criança. De acordo com uma médica, que não quis ser identificada, durante o atendimento no plantão, foi surpreendida na porta do consultório por uma mãe que reclamava da demora no atendimento. Ainda segundo a médica, assim que ouviu as batidas na porta, prontamente interrompeu o atendimento, pedindo para que não batessem na porta, pois gostaria de continuar fazendo seu trabalho.

Também, de acordo com a médica, foi nesse momento que um grande tumulto foi causado por algumas mães, que chegaram, até mesmo, a agredir a profissional verbalmente. A médica, após o início da confusão, se deslocou até o setor administrativo do Hospital da Criança, comunicando que as mães estavam alteradas e que temia algo pior. Imediatamente colegas da profissional ligaram para a polícia, em virtude da frequência das situações de agressões vividas pelos profissionais do hospital. Após o fato, a médica registrou um Boletim de Ocorrência na delegacia. Os funcionários relaram que, há cerca de um mês, uma técnica de enfermagem chegou a levar um tapa no rosto.

“Essa situação é diária. Saímos para trabalhar, sustentar nossas famílias e simplesmente vivemos num ambiente inseguro, não fazem nada”, relata um funcionário do hospital.

Ainda de acordo com informações de funcionários do Hospital da Criança, após chegada da polícia a situação foi controlada.

Situação

De acordo com os médicos que trabalham no Hospital da Criança, no bairro Alemanha, os casos de agressões já são de conhecimento do Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA), mas, que, infelizmente, nenhuma medida é tomada. Ainda segundo os médicos que atendem na unidade, o Secretário de Saúde do Município é ciente da situação caótica do Hospital, que mesmo já havendo várias reuniões com os profissionais, até o momento, nada foi feito.

Posicionamentos

Por meio de nota, o presidente do CRM-MA, Abdon Murad, falou sobre o caso.

“Nesses casos, entramos em contato com o médico agredido, quando sabemos seu nome e colocamos advogados à disposição dos colegas. Neste caso, do Hospital da Criança, somente agora ficamos sabendo, e pelo email da Mirante. Não sabemos o nome da médica agredida, nem o nome da agressora. É necessário que o CRM saiba o nome da médica agredida e o nome da agressora, para que tome posicionamento jurídico. O CRM já se reuniu com o Governador Flávio Dino e com o Secretário Jefferson Portela, solicitando policiamento nos estabelecimentos públicos de saúde. O Governador recomendou que seja feita ronda ostensiva nos estabelecimentos públicos de saúde. Solicitamos à Mirante que, se souber os nomes da médica e da agressora, informe ao CRM”, declarou Abdon Murad, presidente do CRM-MA.

O Imirante.com também entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, mas, até o momento, não obteve respostas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.