Artes cênicas

Trajetória de luta da mulher em espetáculo

"A VAGABUNDA. Revista de uma Mulher só", que estreia neste sábado (11), é inspirado na vida das vedetes que fizeram história no Teatro de Revista no Brasil

Bárbara Lauria / Equipe O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h15
(“A VAGABUNDA. Revista de uma Mulher só�)

São Luís - Estreando neste sábado, 11, às 19:30 no Teatro Xama, o espetáculo “A VAGABUNDA. Revista de uma Mulher Só”, vai trazer aos palcos a luta da mulher ao longo de 100 anos. No palco, a atriz Gisele Vasconcelos canta, fala e dança, trazendo à tona a luta da mulher artista que volta 100 anos para enfrentar o que vier! O espetáculo é inspirado na vida das vedetes que fizeram história no Teatro de Revista no Brasil.

O projeto trata da jornada de Gigi em sua luta pela sobrevivência, enfrentando carrascos e toda forma de opressão que vai encontrando pela frente para a realização de seu grande sonho: o de ser artista.

Composta por uma equipe quase 100% feminina, a peça foi escrita por Nicolle Machado, Gisele Vasconcelos e Nádia Ethel, e teve como inspiração inicial o livro A Vagabunda, de Gabrielle Colette. O espetáculo traz como referência, fragmentos de vida de vedetes que fizeram a história do teatro de revista no Brasil e de outras artistas do final do séc. XIX e início do século XX.

“Esse espetáculo é tão maravilhoso, tão atual, tão necessário, porque ele traz a história das mulheres, das condições absurdas que nos foi imposta desde sempre, e de como a gente vem quebrando essas barreiras, do preconceito, do machismo, da violência, e de como a nossa luta é importante, e mais importante ainda é nos mantermos fortes e unidas. Enfrentar o que vier sempre, nem que seja necessário voltar 100 anos como fez Gigi”, conta Julia Martins, produtora do espetáculo.

É a revista impossível da Gigi. A mulher que volta 100 anos para enfrentar o que vier. Ao sobreviver a um incêndio, ela vai fazer o que for preciso para se manter de pé. Se antes era outra, era apenas uma mulher, agora ela desenterra as loucas, as bruxas, deusas, monstras, filhas dos tempos. Uma vedete que luta para permanecer viva. Furando os enquadros, ela se põe em revista e é (des)vista. Uma mulher como qualquer outra: estrela que não cabe em uma mala.

As apresentações vão acontecer aos sábados, nos dias 11, 18 e 25 de setembro, às 19h30, no Teatro Xama, localizado na Rua das Esmeraldas, Quintas do Sol, no bairro Araçagi. As vendas estão sendo realizadas pelo Sympla.

A peça que também terá sessões reservadas ao público de estudantes do EJA (Educação de Jovens e Adultos) e da Casa da Mulher Brasileira, integrando ações desenvolvidas por meio do projeto “’Até quando”, premiado no Edital “Mulheres de Atitude” da Secretaria da Mulher do Governo do Estado do Maranhão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.