Ato bárbaro

Casal suspeito de agredir criança de 6 anos é preso

Um dos presos é o pai da vítima, que chegou sem vida no Socorrão I, conforme a Semus

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h15
.
. (casal)

São Luís - Erivaldo Campelo Marinho e a sua esposa, identificada como Patrícia Almeida da Silva, foram encaminhados nesta segunda-feira (2) pela polícia para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Segundo a polícia, o casal foi preso em flagrante na Vila Vitória, no último dia 1º, suspeitos de maus-tratos contra uma criança de 6 anos. A Secretaria Municipal de Saúde (Semus) afirmou que a vítima apresentava indícios de queimaduras e lesões na face, tórax, abdômen, membros inferiores, e confirmou sua morte encefálica.

O delegado Carlos Damasceno declarou ontem, à Mirante AM, que a criança vinha sofrendo agressões físicas há mais de 30 dias, e o casal foi autuado pelo crime de maus-tratos, na qualificadora de lesão gravíssima. “Há informações que Erivaldo teria jogado a criança contra uma parede no último sábado,a deixando desacordada”, disse Carlos Damasceno.

Ainda de acordo com o delegado, Patrícia Almeida contou que a enteada estava brincando com outras duas crianças em uma rede e caiu. Logo após, a vítima foi colocada em uma janela e mais uma vez caiu de uma altura de dois metros. A criança ficou desacordada e foi levada para o Socorrão II, localizado na área da Cidade Operária.

No hospital, a equipe de saúde constatou vários sinais de violência pelo corpo da criança. O delegado disse que havia marcas de queimaduras nos pés e em outras partes do corpo, além de lesões na face e no abdômen, ocasionadas por objetos contundentes.

Em razão da gravidade dos ferimentos, a criança foi transferida para o Socorrão I, no Centro, onde foi confirmada sua morte encefálica. O delegado relatou que a médica do hospital acionou a polícia e os conselheiros tutelares da área do Cruzeiro de Santa Bárbara.

O casal foi preso em flagrante na Vila Vitoria e apresentado na Casa da Mulher Brasileira, no Jaracati. Patrícia disse na delegacia que a mãe da criança é usuária de drogas, enquanto Erivaldo Campelo afirmou que não presenciou a queda da filha da rede e alegou que a companheira não gostava da criança por parecer com a ex-companheira.

Morte confirmada
A Semus informou ontem, por meio de nota, que a criança deu entrada no Hospital Municipal Dr. Clementino Moura (Socorrão II) inconsciente, com sinais vitais fracos e com indícios de queimaduras e lesões na face, tórax, abdômen e membros inferiores. A paciente foi intubada, realizou exames e foi transferida em UTI móvel para avaliação do neurocirurgião no Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I), onde foi confirmada a morte encefálica.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.