Ponta d''Areia e Olho d''Água

Corpo de Salva-Vidas alerta banhistas para cuidados com caravelas

Animais marinhos são comuns na orla nesta época do ano, que também tem ventos fortes, o que requer cuidado redobrado dos banhistas e praticantes de esportes radicais

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h18
Ação acontece nas praias da Ponta d''Areia e Olho d''Água
Ação acontece nas praias da Ponta d''Areia e Olho d''Água (salva-vidas)

São Luís - Agentes do Corpo de Salva-Vidas da Prefeitura de São Luís, serviço ligado à Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc), fazem alerta à população sobre cuidados com a presença de águas-vivas e caravelas, comuns nesta época do ano, nas praias da capital. A guarnição, que monitora as praias da Ponta d'Areia e Olho d'Água, de responsabilidade do município, também orienta praticantes de kitesurf em São Luís a evitar manobras mais radicais, por conta dos fortes ventos.

Segundo o secretário municipal de Segurança com Cidadania, Heryco Coqueiro, a chegada de temperaturas mais elevadas em agosto e setembro favorece tanto a presença das águas-vivas e caravelas nas praias como dos ventos mais fortes, o que requer cuidado redobrado dos banhistas e praticantes de esportes na orla de São Luís. "Caso alguém tenha contato com caravelas, pedimos que procure imediatamente o salva-vidas e receba atendimento em nossos postos presentes nessas praias que o município monitora", orienta o gestor. Nas demais praias da capital, o monitoramento é realizado pelos Corpo de Bombeiros Militar do estado.

Heryco Coqueiro ressalta ainda que as caravelas não atacam as pessoas, os acidentes acontecem quando banhistas, ao entrar na água, encostam nesses animais marinhos que costumam liberar substâncias que queimam a pele e causam dor e ardência. Tradicionalmente, nessa época do ano, o número de registros de acidentes envolvendo caravelas ou águas-vivas aumentam na capital, sendo que por dia, podem ocorrer de 3 a 6 ocorrências. Os animais marinhos são trazidos por correntes marinhas e têm no mar, o ambiente natural.

O coordenador do Corpo Salva-Vidas da Guarda Municipal, Edilson Menezes, relata que a maioria dos acidentes envolvendo águas-vivas ocasiona quadros leves de queimadura, com a vítima relatando somente dor e queimação no local de contato com o animal marinho. "Orientamos que as pessoas procurem os postos salva-vidas da Prefeitura ou do Corpo de Bombeiros para receber atendimento imediato e não tentem lavar o local atingido com água ou algum tipo de refrigerante, pois não são indicados para essa situação", informa.

Os postos salva-vidas da Prefeitura contam com um efetivo diário profissionais equipados com quatro quadriciclos, embarcação (lancha), equipamentos de reanimação, pranchas, colar cervical, talas moldáveis, materiais de primeiros socorros, nadadeiras, tubo de resgate e um conjunto de materiais flutuantes, além de uma torre de observação que abriga o salva-vidas e dá visão do movimento na orla.

Para atuar em salvamentos nas praias, os salva-vidas da Prefeitura são constantemente treinados. Além disso, o grupo também busca aprimoramento nas abordagens realizadas aos banhistas, buscando levar turistas e frequentadores das praias à conscientização e assim, buscar prevenir possíveis ocorrências de afogamentos e outras situações de acidentes.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.