Nazareno Carvalho de Lima - CEO da Alphaways

Investir é o melhor negócio

De camelô a especialista em investimentos, ele ensina que é preciso abdicar de muita coisa para se chegar aonde se quer e que estabelecer prioridades e poupar são as palavras-chaves do sucesso financeiro

Evandro Júnior/ Da equipe de O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Nazareno Carvalho de Lima - CEO da Alphaways
Nazareno Carvalho de Lima - CEO da Alphaways (nazareno)

SÃO LUÍS- Assim como Silvio Santos. considerado um dos mais famosos comunicadores e investidores do Brasil, o cearense Nazareno Carvalho de Lima, CEO da Alphaways Investments, também é um camelô vitorioso. Começou vendendo salgadinho, bombons, meias, bolsas e camisas e, aos poucos, foi transformando a sua realidade. Ele tinha uma vida muito simples: acordava cedo para ir à escola e ajudava os pais em um restaurante, servindo mesas e vendendo. No fim do expediente, lavava as louças.

O ano era 1994. No fim do dia, Nazareno Lima vendia utensílios domésticos, baldes e bacias, na Praça José de Alencar, em Fortaleza (CE), enquanto as outras crianças se divertiam com seus brinquedos. Quando terminava o trabalho, voltava para casa e ia dormir. No dia seguinte, repetia a mesma rotina exaustiva. “Os fins de semana eram inteiramente dedicados aos estudos. Lembro da minha mãe me chamando para dormir, mas para mim as tarefas escolares eram mais importantes. Desde cedo, entendi que o trabalho e a dedicação são importantes para se conseguir o que se quer”, ensina.

O esforço valeu à pena. De tanto estudar (em escola pública) e se esforçar, Nazareno Lima conseguiu se formar em Administração de Marketing, com pós-graduação em Finanças, Controladoria e Auditoria. Todo o dinheiro que recebia, ele investia na compra de livros, deixando de lado as coisas que considerava supérfluas. Na área financeira, o cearense caiu de paraquedas. Aos 15, foi gerenciar uma loja de plásticos e descartáveis, além de servir alguns clientes. Foi quando conheceu o proprietário da Rommanel, especializada em joias folheadas.

“Ele me elogiou por ser um bom vendedor e me convidou para comercializar joias, mesmo sem carteira assinada. Nos dois primeiros anos, me destaquei como o melhor. Aos 21, já gerenciava algumas unidades, após passar por lojas no Ceará e contribuir para a sua rentabilidade”, diz ele, que sempre foi apaixonado por matemática.

Depois, foi convidado por um headhunter para assumir a HDI Seguros, empresa que estava comprando as operações do Banco HSBC no Brasil. Aceitou a proposta. A partir disso, começou a entender muito sobre a área financeira e assessorar investidores. Na verdade, Nazareno sempre demonstrou facilidade para empreender. Ganhou diversas campanhas no Banco HSBC e viajou para outros países. Sua campanha mais importante foi a de Singapura, onde figurou entre os seis melhores gerentes de alta renda do Brasil.

Após conhecer mais a fundo o mundo dos investimentos, entendeu que não necessariamente os melhores produtos estavam no banco. “Comecei a pensar em ajudar pessoas por meio da assessoria ou independente. Foi aí que conheci a XP Investimentos e, em 2015, tomei a decisão de empreender junto à empresa, fundando a Alphaways, para trabalhar nessa área de assessoria em investimentos”, conta.

Nazareno ensina que há muita diferença entre uma orientação em investimentos realizada por bancos e aquela realizada por empresa especializada. Em uma visão macro, ele diz que o Brasil experimenta um período de retração de -5.5. E afirma que, mesmo com esse cenário, o país será uma das dez maiores produções do mundo.

“Sabe-se que 55 milhões de brasileiros estão com o nome negativado e estima-se que 15 milhões de pessoas estejam desempregadas. Mas do outro lado, temos 100 milhões de pessoas que poderão fazer acontecer. São empreendedores e mais de 6 milhões de empresas. Mesmo com todos os danos causados pela pandemia, a demanda vai continuar e ainda teremos mais de 200 milhões de habitantes para consumir. Acredito que a economia brasileira ainda vai crescer bastante, principalmente no agronegócio”, analisa.

Depois da crise, na opinião dele, muitas oportunidades vão surgir, inclusive a de se reinventar. Ele ensina que o primeiro passo para se conseguir a liberdade financeira é fazer um planejamento para poupar. Sempre diz que o mais importante é que nasçam pessoas que possam inspirar outras. “Desejo que surjam novos empreendedores, éticos, que possam transferir conhecimento, pois isso é nobre e de grande valor. Isso é mais do que entregar algo pronto a alguém”, finaliza. .

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.