Negócios

Novo presidente da ACM defende a valorização do jovem empresário

O empresário Cristiano Barroso Fernandes foi empossado, na noite dessa quarta-feira, para comandar a entidade pelo próximo triênio

Nelson Melo

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h21
Felipe Mussalém entre o presidente Cristiano Fernandes e Luzia Rezende, do Conselho Superior da ACM
Felipe Mussalém entre o presidente Cristiano Fernandes e Luzia Rezende, do Conselho Superior da ACM

Empossado, na noite de quarta-feira, 5, para comandar a Asssociação Comercial do Maranhão (ACM) no triênio 2020/2022, o empresário Cristiano Barroso Fernandes estabeleceu como uma de suas prioridades a intensificação da valorização do jovem empresário, aspecto que já foi trabalhado na gestão anterior, sob o comando do ex-presidente Felipe Maranhão Mussalém. A cerimônia aconteceu na sede da entidade, na região central de São Luís. Em seu discurso, o novo presidente disse que pretende atuar com afinco para que o ramo dos negócios no estado receba mais incentivos.

De acordo com Cristiano Barroso Fernandes, o principal desafio em sua gestão será, primeiramente, fazer a união do associado, que trabalha diretamente na representatividade da classe empresarial. Além disso, a entidade atuará no sentido de aproximar mais ainda a estrutura do empresariado no Maranhão, de tal forma que sejam construídas propostas vinculadas ao desenvolvimento do estado em todas as instâncias.

“Por meio disto, a gente vai tentar se aproximar da iniciativa pública, para melhorar a economia do estado. O país, de uma forma geral, está crescendo devagar, mas, quando isso é aliado ao contexto maranhense, conseguimos um potencial grande, principalmente nos projetos que envolvem a questão portuária, fundamental para o nosso desenvolvimento”, expressou o novo presidente. Para que os objetivos sejam alcançados, Cristiano Fernandes frisou que a classe empresarial precisa estar envolvida, para que o progresso econômico seja alcançado sem muitas dificuldades, o que vai beneficiar toda a sociedade maranhense.

O presidente da ACM também discorreu sobre a reforma tributária. De acordo com ele, existe na entidade um Comitê Estratégico, para a discussão de demandas grandes, sobretudo aquelas referentes às reformas. “Nós iremos trazer ao estado pessoas envolvidas com a questão tributária, para que esse debate seja realizado dentro do possível com o empresariado, que deve participar dessas discussões. Precisamos entender como isso pode impactar nos negócios do Maranhão”, ressaltou Cristiano Fernandes.

Com relação ao jovem empresário, o presidente da entidade destacou que é fundamental para a questão da inovação e tradição, mesclando essas duas instâncias, a fim de promover o desenvolvimento não apenas da Associação, como, principalmente, da economia maranhense. “Isso vai oxigenando, por meio de pessoas novas e com maior representatividade. Temos empresários fortes na nossa diretoria. Inclusive, a casa tem o Conselho de Jovem Empresário”, disse. A nossa perspectiva será trabalhar em função do jovem no mercado de trabalho”, assinalou ele.

O próprio Cristiano Fernandes, como salientou, começou cedo nos negócios. Aos 14 anos, já estava em plena atividade. Portanto, são quase 30 anos de experiência.

A cerimônia

A posse de Cristiano Fernandes começou por volta das 19h30, na sede da ACM. O auditório ficou lotado. Havia, no meio do público, ex-presidentes da entidade, como Luís Carlos Cantanhede e Carlos Gaspar. Para a mesa, foram convidados, além do novo presidente da Associação, o anterior, Felipe Mussalém; o vice-governador, Carlos Brandão; Ivaldo Rodrigues, titular da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), representando o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior; Luzia Rezende, presidente do Conselho Superior da ACM, e o comandante da Capitania dos Portos do Maranhão, capitão Alekson Batista da Silva.

Em posição de respeito, houve a execução do Hino Nacional. Em seguida, Felipe Mussalém foi homenageado com uma placa, que recebeu das mãos de Luzia Rezende. Ele proferiu sua saudação de despedida, marcada por momentos emocionantes. O empresário agradeceu a todos os envolvidos em sua gestão, incluindo seus familiares. Compareceram à cerimônia a esposa e filhos, que, em uma quebra de protocolo, foram chamados à frente pelo próprio homenageado.

O Hino do Maranhão foi executado depois. Na sequência, ocorreu a diplomação de Cristiano Fernandes e Magnólia Gomes Rolim, vice-presidente da ACM. Os dois foram empossados pela presidente do Conselho Superior da Associação Comercial do Maranhão, Luzia Rezende. Antes do encerramento do evento, o Hino Louvação a São Luís foi cantado pelas pessoas que compareceram ao auditório da entidade.

Por fim, foi servidor um coquetel aos convidados. Felipe Mussalém desejou boa sorte ao novo presidente e destacou que cumpriu seu papel enquanto esteve no comando da ACM. “Estou saindo com a consciência limpa de que fiz o que me propus a fazer, que era tornar a entidade conhecida e acessível. Eu espero que o meu sucessor aproveite esse conhecimento que a casa acumula ao longo da história. Ele vai solidificar a presença da classe empresarial no progresso do nosso estado”, comentou o empresário.

De igual modo, o ex-presidente da entidade, Luís Carlos Cantanhede, disse que ficou muito emocionado na cerimônia, especialmente durante a declaração de posse e diplomação do novo presidente. “É uma satisfação muito grande. É um momento de esperança. A minha expectativa é que ele possa fazer um trabalho excelente. A perspectiva é de desenvolvimento”, declarou.

ACM

Fundada há 163 anos, a Associação Comercial do Maranhão é uma das mais tradicionais entidades empresariais do Brasil. Sua trajetória se confunde com a história do comércio no Maranhão. O passo inicial para a sua fundação foi dado no dia 21 de agosto de 1854, com a eleição de uma comissão de notáveis comerciantes, que deveria representar em todos os aspectos a classe comercial maranhense. Para presidir a comissão, elegeu-se o comendador João Gualberto da Costa, figura eminente da sociedade daquela época.

Identificada com as aspirações do comércio, a “Comissão da Praça”, como ficou conhecida, teve uma atuação marcante junto ao Império e à Província até o ano de 1878, quando, sob o comando de José da Cunha Santos Júnior, transformou-se na Associação Comercial do Maranhão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.