Esporte | Maranhão no pódio

Com 11 anos de atraso, maranhense recebe medalha olímpica de Pequim

José Carlos Moreira, o "Codó", recebeu medalha de bronze referente à conquista dos 4x100 masculino, após doping na Jamaica
31/10/2019 às 15h28
Com 11 anos de atraso, maranhense recebe medalha olímpica de PequimCodó recebeu medalha, na Suíça, nesta quinta-feira (31) (Divulgação)

SÃO LUÍS – Depois de 11 anos de espera, o Maranhão, enfim, recebeu a sua terceira medalha olímpica. Isso porque, nesta quinta-feira (31), na Suíça, o maranhense José Carlos Moreira, o “Codó”, recebeu medalha de bronze referente à conquista dos 4x100 masculino no atletismo das Olimpíadas de Pequim 2008. A medalha, que já havia sido reconhecida em janeiro de 2017, veio após doping do velocista Nesta Carter, da equipe da Jamaica, que levou o ouro na competição. Com a reclassificação, o ouro ficou com Trinidad e Tobago e a prata com o Japão.

“Codó” se juntará no esporte local à Tânia Maranhão, que faturou duas pratas no futebol feminino em Atenas (2004) e Pequim (2008). Em Pequim, o Brasil terminou no atletismo na quarta colocação, no entanto herdou o terceiro posto com a desclassificação do time jamaicano. O maranhense herdou a medalha de bronze dessa prova, junto com Bruno Lins, Vicente Lenílson e Sandro Viana.

“Codó” se juntou no esporte maranhense à Tânia Maranhão, que faturou duas pratas no futebol feminino em Atenas (2004) e Pequim (2008).

Esta é a segunda medalha do atletismo dos Jogos de Pequim 2008 que o Brasil herda. No revezamento 4x100m feminino, as brasileiras Lucimar Moura, Rosangela Santos, Rosemar Coelho Neto e Thaissa Presti também levaram o bronze após a desclassificação da Rússia.

Saiba mais

Ao refazer os testes de doping do jamaicano Nesta Carter, o Comitê Olímpico Internacional (COI) descobriu que a amostra do atleta testou positiva para a substância proibida Dimetilamilamina, um vasoconstritor que aumenta a capacidade pulmonar. Com isso, o Comitê Disciplinar do COI decidiu retirar o ouro da Jamaica: além de Carter, Usain Bolt, Asafa Powell e Michael Frater perderam as suas medalhas.


Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte