DOM | Recomeçar

Procedimento redesenha aréolas de mulheres que fizeram plástica nas mamas

Através de tatuagem realista, mulheres que fizeram mamoplastia, colocaram silicone e que venceram o câncer podem melhorar a autoestima
18/08/2019 às 09h33
 Procedimento redesenha aréolas de mulheres que fizeram plástica nas mamasTatuagem busca restabelecer a simetria entre as duas aréolas, redefinindo o contorno, harmonizando a cor e minimizando o contraste da cicatriz (Divulgação)

São Paulo - Ao optar pela cirurgia estética nas mamas, as mulheres buscam se sentir mais completas, sensuais, seguras e bonitas. No entanto, algumas vezes, as marcas deixadas podem incomodar.

Sabendo disso, Yurgan Barret, eleito um dos top 10 tatuadores do Rio de Janeiro, decidiu usar sua arte para ajudar essas mulheres a se aproximarem de seus objetivos.

O método é o mesmo da tatuagem artística e busca restabelecer a simetria entre as duas aréolas, redefinindo o contorno, harmonizando a cor e minimizando o contraste da cicatriz. Para fazer o procedimento, mulheres que colocaram silicone, reduziram mama ou fizeram reconstrução pós mastectomia precisam somente da autorização médica para tatuar a região.

"Nos casos em que foi necessária a extração da aréola e do mamilo por questões oncológicas, é possível fazer o desenho realista na região. É importante ressaltar que esta reconstrução visa minimizar o desconforto estético da ausência da aréola e do mamilo, melhorando a autoestima destas mulheres", pontua o tatuador.

SAIBA MAIS

Yurgan é tatuador há mais de 20 anos e em 2018 criou o projeto social “Y Rosa”, no qual pacientes mastectomizadas e que desejam redesenhar suas aréolas são atendidas gratuitamente. A terceira edição do projeto aconteceu em julho em Florianópolis e a quarta edição está planejada para outubro no Rio de Janeiro.

Ao longo do ano, para as mulheres que passaram por cirurgia plástica e buscam se sentir mais completas, sensuais, seguras e bonitas, o profissional oferece permanentemente o serviço em seu estúdio, no Rio de Janeiro, por um valor simbólico que auxilia a manter vivo o Y Rosa.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte