Polícia | Barbárie

Crueldade: homossexual é morto e esquartejado em Presidente Médici

Corpo foi achado dentro de um saco plástico em um açude, mas a polícia ainda procura a cabeça; autor do crime já teria sido identificado e está foragido, mas com prisão decretada
Ismael Araújo30/01/2019
Crueldade: homossexual é morto e esquartejado em Presidente MédiciIldivan Silva Farias que foi assassinado barbaramente em Presidente Médici (Divulgação)

PRESIDENTE MÉDICI - O corpo do homossexual Ildivan Silva Farias, o Nenzim, foi achado ontem esquartejado dentro de um saco de nylon em um açude, na zona rural da cidade de Presidente Médici. De acordo com a polícia, até a tarde a cabeça da vítima não tinham sido encontrada. O autor desse crime bárbaro foi identificado como Valber Bezerra, Seu Jorge.

O caso está sendo investigado pela equipe da delegacia de Santa Luzia do Paruá, sob a coordenação do Élson Ramos. O policial declarou que a vítima foi vista com Seu Jorge em um bar na noite do último dia 25, em Presidente Médici, e desde esse dia, desapareceu.

A polícia e os moradores começaram a fazer uma varredura pela localidade na segunda-feira, 28, mas não encontraram a vítima. Na manhã de ontem, a polícia conseguiu rastrear o sinal do celular de Nenzin e acabou encontrando o aparelho enterrado em uma área de matagal, nas proximidades do município de Centro do Guilherme, mas o corpo foi achado em um outro local.

O delegado disse que a vítima foi morta e esquartejada e os pedaços colocados em um saco de nylon e jogado dentro de um açude. Pedras foram colocadas dentro do saco para que não boiasse. “A cabeça da vítima não estava dentro do saco e a polícia está procurando pela região”, disse o delegado.

Ainda segundo o delegado, o suspeito desse crime já foi identificado e a sua prisão já foi solicitada ao Poder Judiciário. “A polícia está trabalhando para esclarecer a motivação desse assassinato e prender o suspeito”, afirmou Élson Ramos.

O delegado Armando Pacheco, superintendente da Polícia Civil do Interior, informou que o corpo da vítima foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), em São Luís, para a autopsiado e resultado desse exame pericial será anexado ao processo.

Incursões

Policiais militares e civis ainda ontem estavam realizando incursões em Codó e cidades vizinhas visando prender Francisco Rodrigues Azevedo, de 41 anos. Segundo a polícia, ele é acusado de ter assassinado o próprio genro, Reginaldo Gonçalves Lima, de 33 anos, no povoado Barra do Junco, zona rural do município, na noite do último domingo.

A polícia não informou a motivação desse assassinato. A vítima foi morta a pauladas e a golpes de faca no peito. O acusado após o crime fugiu e o caso está sendo investigado pela Delegacia Regional de Codó.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte