PH | COLUNA SOCIAL

Pergentino Holanda

03/09/2018

Redes sociais
Nestes tempos em que grudar no celular e caminhar sem ligar mais para nada virou epidemia, as redes sociais ganharam uma força nunca vista. Ainda não decisiva,
como em outros países, mas já mostrando as unhas.
O consenso entre os marqueteiros: as redes sociais vieram para ficar, mas ainda estão na infância. O rádio e a tevê ainda dão as cartas.
De fato, nos primeiros dias da propaganda eleitoral gratuita (para os políticos, quem paga é a gente), as diferenças são muito bem explícitas.
Nas propagandas, especialmente nas inserções comerciais, cada um dá o seu recado da forma mais convencional, na tradição fala para todos ouvirem.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte