Câmara

Nenhum deputado do MA assinou CPI do abuso de autoridade do STF e TSE

A bancada maranhense na Câmara dos Deputados é formada por 18 membros.

Gilberto Léda/ipolítica

- Atualizada em 24/11/2022 às 07h27
Requerimento foi proposto pelo deputado federal Marcelo van Hattem
Requerimento foi proposto pelo deputado federal Marcelo van Hattem (Divulgação/Câmara dos Deputados)

SÃO LUÍS - Nenhum deputado federal do Maranhão havia assinado, até o início da tarde desta terça-feira, 22, um requerimento apresentado pelo deputado federal Marcel van Hattem (Novo-RS) pedindo de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para apurar possíveis abusos de autoridade supostamente praticados pelas duas Cortes. 

Na redes sociais, van Hattem informou já contar com 80 assinaturas. Ele precisa, no entanto, de ao menos 171 para que uma CPI seja instalada.

“Já temos 80 assinaturas de deputados, mas precisamos chegar a 171 para que a CPI seja instalada. Seu deputado ainda não está na lista? Então nos ajude e peça para ele assinar o requerimento”, desatacou o parlamentar gaúcho no Twitter, ao compartilhar a lista dos que já assinaram.

A bancada maranhense na Câmara dos Deputados é formada por 18 membros.

O requerimento de Marcel van Hattem cita três possíveis situações de abuso de autoridade do STF e do TSE: busca e apreensão no endereço de empresários por terem compartilhado mensagens em aplicativos; determinação de bloqueio das contas bancárias de 43 pessoas e empresas suspeitas de financiar atos pós-eleições; e censura a parlamentares, ao economista Marco Cintra, à produtora Brasil Paralelo, à emissora Jovem Pan e ao jornal Gazeta do Povo.

Atualização: após a publicação deste texto, assinaram o documento os deputados Josivaldo JP (PSD) e Pastor Gil (PL).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.