simulação de emergência

Moradores dos bairros de Mangue Seco, Pedrinhas e Maruaí participam de treinamento de emergência

A Prefeitura também vai participar do treinamento em conjunto com Alumar, Defesa Civil Estadual e parceiros nas comunidades da Zona Industrial de São Luís.

Imirante.com, com informações da Prefeitura de São Luís

- Atualizada em 04/11/2022 às 14h33

SÃO LUÍS - Moradores dos bairros de Mangue Seco, Pedrinhas e Maruaí, na Zona Industrial de São Luís, participam, neste sábado (5), a partir das 15h, da simulação de emergência no atendimento de ocorrência de um incidente em uma Área de Resíduo de Bauxita (ARB) da Alumar. Participam também a Prefeitura de São Luís, por meio da Defesa Civil Municipal. A ação acontecerá em conjunto com a Defesa Civil Estadual e entidades parceiras.

Estarão presentes durante o simulado, as secretariais municipais de Saúde (SAMU), de Segurança com Cidadania (Semusc), da Criança e Assistência Social (SEMCAS), e do Meio Ambiente (SEMAM), SEMA, Centro de Controle de Zoonoses, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar, além da própria Alumar.

O Superintendente da Defesa Civil de São Luís, Alexssandro Nogueira, explicou que o simulado de campo é uma forma de treinar a população nos procedimentos de segurança, mas também é importante para exercitar o trabalho conjunto das diversas instituições participantes. “Nós já fizemos treinamentos em formato de tabletop (de mesa). Agora, nós vamos treinar na prática a movimentação das equipes, o aviso aos moradores, o deslocamento de viaturas e a saída das pessoas para os Pontos de Encontro”, disse.

É importante ressaltar que as estruturas do Consórcio Alumar estão estáveis e seguras e o treinamento será realizado em cumprimento a uma exigência nova da Lei, alterada em 2020 (Lei nº 14.066/2020), que requer a realização de exercícios simulados. Esses eram feitos apenas entre colaboradores, como parte do Plano de Ação de Emergência (PAE) da empresa, e agora devem envolver também as comunidades próximas às instalações.

O diretor da Alumar, Helder Teixeira, reforça que “as ARBs da empresa estão estáveis e seguras, como sempre estiveram nesses 40 anos de atividade da Alumar. Embora seja improvável a ocorrência de um incidente sério com nossas barragens, a legislação exige que a cultura de segurança que nossos colaboradores já incorporaram às suas vidas, também seja adotada nas comunidades vizinhas. Uma cultura de prevenção ajuda a gente a evitar acidentes dentro de casa e a proteger melhor as nossas famílias”, concluiu.

Ao longo deste ano, a Alumar realizou reuniões com as comunidades próximas para explicar o funcionamento do seu PAE, a sinalização que está sendo instalada, as Rotas e os Pontos de Encontro, para onde os moradores que residem no possível raio de alcance do material das ARBs, devem se deslocar em uma hipotética situação de emergência. No treinamento não haverá acionamento de sirenes. Será simulada uma emergência de nível 2, na qual o risco é de curto prazo, mas sem ameaça de colapso iminente da estrutura, o que proporciona tempo para uma saída planejada dos moradores.

O trabalho de divulgação do PAE e de sensibilização será permanente e os exercícios simulados ocorrerão todos os anos, como medida preventiva de segurança e de educação da comunidade.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.