Crítica

Presidente do PT em São Luís afirma que +IDH do governo fracassou

Ex-vereador da capital, Honorato Fernandes afirma que ainda temos no estado, cerca de 3,7 milhões de pessoas vivendo na pobreza

Ronaldo Rocha / Ipolítica

- Atualizada em 03/05/2022 às 12h45
Honorato é presidente municipal do PT de São Luís
Honorato é presidente municipal do PT de São Luís (Honorato Fernandes)

SÃO LUÍS - O presidente municipal do Partido dos Trabalhadores (PT) de São Luís, Honorato Fernandes, afirmou que o Programa +IDH, do governo Flávio Dino (PSB), fracassou.

Ex-vereador da capital, Honorato tem defendido a pré-candidatura do senador Weverton Rocha (PDT) ao Governo contra o governador e pré-candidato Carlos Brandão (PSB), que é apoiado por Dino.

“O centro do debate no deveria ser a construção verdadeira de um Pacto pela Superação da Pobreza, pq infelizmente os números mostram que o +IDH não se mostrou efetivo. Ainda temos no MA cerca de 3,7 milhões de pessoas vivendo na pobreza”, escreveu no twitter o petista.

E completou: “Uma turma querendo “fulanizar”o debate político @Paulo13Romao e @socorrolago, e eu aqui pensando como é que pode quase 55% da população maranhense ainda viver com renda de até 406 reais por mês. Eu disse até @carlosfilho81 @ptmunicipalslz @ptbrasil”.

+IDH

O programa +IDH foi apresentado por Flávio Dino logo no seu primeiro mandato, como ferramenta para cumprimento de sua principal proposta de campanha, que era retirar da lista dos municípios de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país as 30 cidades do Maranhão que integravam o vergonhoso ranking. 

Ocorre que na gestão do comunista houve aumento da extrema pobreza no estado, como mostrou relatório do IBGE e mais de 400 mil pessoas entraram na faixa dos considerados miseráveis.

Dino deixou o mandato sob fortes críticas e lançou pré-candidatura ao Senado da República. 

Outro lado

O Ipolítica entrou em contato com a assessoria do ex-governador Flávio Dino na manhã desta terça-feira, mas não obteve resposta do socialista.

O ex-secretário de Direitos Humanos da gestão Flávio Dino, contudo, Francisco Gonçalves, que pertence aos quadros do PT, se manifestou por meio de nota. Abaixo, a íntegra da nota de Gonçalves.

A posição do presidente do Diretório do PT em São Luís, Honorato Fernandes, não reflete a posição do partido, demonstra desconhecimento da realidade do Maranhão, ou, no mínimo, má-fé, já que o aguçamento da extrema pobreza no Maranhão, como em outros estados, foi agravada pelas decisões tomadas pelo governo Bolsonaro em relação as crises econômica e sanitária. 

Essas ações, ou ausência delas, aumentaram a pobreza no Brasil, comprometeram as ações dos Estados em relação às desigualdades e colocaram o Brasil novamente no mapa da fome, cenário erradicado nos governos Lula e Dilma. 

O Plano +IDH foi e é uma das estratégias adotadas no governo Flávio Dino para o enfrentamento da extrema pobreza a partir dos 30 municípios com menor IDH do Maranhão. O governo do Maranhão fez os maiores investimentos da história nesses municípios, por meio de programas que foram estadualizados, como o apoio a agricultura familiar, Escola Digna, Força Estadual de Saúde, restaurantes populares, entre outros. Ações de enfrentamento à extrema pobreza precisam contar com a articulação entre entes da União, Estado e Municípios, com continuidade - e por isso apoiamos Carlos Brandão. 

O governo Flávio Dino estabeleceu bases concretas de erradicação da extrema pobreza a partir dessas ações. A nossa posição é de dar continuidade a esses programas que se inspiram no modo como Lula governou o Brasil. A solução que Honorato e seu grupo apresentam é eleger Roberto Rocha, da tropa de choque de Bolsonaro, que tem levado o país à miséria absoluta. 

Professor Chico Gonçalves Ex-secretário de Direitos Humanos e militante do PT-MA

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.