Transporte coletivo

Prorrogado auxílio emergencial ao setor de transporte público de São Luís

O auxílio, a ser repassado nos meses de fevereiro e março, será de R$ 2,5 milhões (auxílio direto) e mais R$ 1,5 milhão, por meio do programa "Cartão Cidadão".

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h21
O auxílio emergencial ao setor do transporte público foi anunciado no fim de 2021.
O auxílio emergencial ao setor do transporte público foi anunciado no fim de 2021. ((Foto: Paulo Soares / Grupo Mirante))

SÃO LUÍS - Foi prorrogado por mais dois meses o auxílio emergencial ao setor do transporte público da capital. O auxílio, a ser repassado nos meses de fevereiro e março, será de R$ 2,5 milhões (auxílio direto) e mais R$ 1,5 milhão, por meio do programa “Cartão Cidadão”.

A prorrogação foi efetivada no início do mês de fevereiro, segundo a Prefeitura de São Luís. O auxílio emergencial ao setor do transporte público foi anunciado no fim de 2021.

Leia mais:

Vereadores se manifestam sobre possível greve de ônibus

Rodoviários informam que podem iniciar greve na Grande São Luís

Cartão Cidadão começa a ser entregue a trabalhadores desempregados em São Luís

Prefeitura de SL formaliza proposta de auxílio emergencial do transporte

“Naquilo que nos compete, já tratamos de todas as medidas necessárias para o funcionamento do sistema de transporte público da capital. Cabe agora às duas categorias, prestadoras diretas do serviço, chegarem a um entendimento que não prejudique a nossa população”, disse o secretário municipal de Governo, Enéas Fernandes.

Impasse

Em audiência de mediação realizada na última quinta-feira (10), no MPT-MA, rodoviários e empresários retomaram as discussões em torno das cláusulas econômicas, da nova Convenção Coletiva de Trabalho, com vigência para 2022.

Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema), a classe empresarial alegou não ter receita para garantir o reajuste salarial e aumento no valor do ticket alimentação.

Durante a audiência conduzida pelo procurador do trabalho, Marcos Rosa, e que também contou com a presença de representantes do município de São Luís bem como as partes envolvidas, o SET resolveu lançar uma contraproposta, considerada absurda, pelo sindicato que defende os interesses dos rodoviários: 5% de reajuste no salário e no valor do ticket alimentação, mas somente, se a entidade concordasse com a dispensa de todos os cobradores do sistema.

Marcelo Brito, presidente do Sttrema, demonstrou revolta com a oferta dos empresários, considerada por ele vergonhosa e desrespeitosa com toda a categoria. Durante a audiência de mediação, Marcelo voltou a afirmar, que diante dessa contraproposta não restará outra alternativa que não seja, toda a categoria cruzar os braços.

Última greve dos rodoviários foi encerrada há três meses

O estado de greve anunciado pelo Sindicato dos Rodoviários ocorre três meses após o encerramento da última paralisação no sistema de transporte público na Grande São Luís, que durou 12 dias e só acabou no dia 1º de novembro de 2021, após acordo feito entre a Prefeitura de São Luís, o Sindicato dos Rodoviários e o SET. Na ocasião, os rodoviários receberam reajuste de 5% no salário e de 6% no tíquete alimentação, além de não terem descontos salariais por causa da paralisação.

Durante a greve, cerca de 700 mil usuários do sistema de transporte público foram prejudicados e tiveram que procurar outras alternativas para se locomoverem nos quatro municípios da Região Metropolitana de São Luís. Em meio à paralisação, o prefeito de São Luís, Eduardo Braide, anunciou uma troca na pasta da Secretaria de Trânsito e Transportes (SMTT), com Diego Baluz assumindo o cargo de secretário, substituindo Cláudio Ribeiro.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.