Cerco

Maranhão é alvo de operação que visa combater crimes de estelionato praticado pela internet

O cerco policial, além de ser realizado em São José de Ribamar, também houve incursões nos estados de São Paulo e Minas Gerais

Imirante.com

A operação ocorreu em Ribamar onde resultou em apreensões de celulares e vários documentos.
A operação ocorreu em Ribamar onde resultou em apreensões de celulares e vários documentos. (Foto: Divulgação)

SÃO JOSÉ DE RIBAMAR - A cidade de São José de Ribamar, Região Metropolitana de São Luís, como ainda os estados de São Paulo e Minas Gerais foram alvos da operação Miquerinos, que foi realizada nesta quinta-feira (26), com o objetivo de combater crimes de estelionato praticados especialmente pela internet.

Leia também em: 

Polícia cumpre mandados contra vereador de Paço do Lumiar por estelionato

Idoso de 87 anos suspeito de estelionato é preso em agência bancária de São José de Ribamar

A polícia informou que quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São José de Ribamar. Os policiais conseguiram apreender celulares, diversos registros, carteiras de identidade, carteiras de trabalho, guias do INSS e documentos oriundos de colônias de pescadores.

Ainda de acordo com a polícia, esse material apreendido serão submetidos a análises e subsidiarão as investigações em curso no estado de São Paulo como também fomentarão nova apuração no Maranhão.

Outras incursões

Segundo a polícia, além do Maranhão, houve o cumprimento de 10 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Diadema e São Bernardo do Campo (SP) como também um em Contagem, no estado de Minas Gerais.

Um dos objetivos desse cerco policial é reunir provas contra suspeitos identificados no inquérito, bem como identificar mais integrantes da organização criminosa que vem aplicando golpes conhecidos como “pirâmide digital” em diversos estados brasileiros.

O nome da Operação Miquerinos é em alusão a uma das pirâmides do Egito, já que é utilizado um sofisticado esquema de pirâmides para fazer transações financeiras que geram prejuízos às vítimas.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.