Conflitos

Quilombolas de Matões seguem em protesto e reclamam de veneno atirado por aeronave

Manifestantes aguardam visita de uma equipe da Sema, que diz não ter autorizado uso de veneno no local.

Imirante.com, com informações da TV Mirante

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
Manifestantes estão acampados e protestam há duas semanas.
Manifestantes estão acampados e protestam há duas semanas. (Foto: Divulgação)

MATÕES – Quilombolas continuam em protesto no município de Matões, onde há duas semanas interditaram a MA-265. Agora, o grupo de manifestantes das comunidade Tanque de Rodagem e São João estão acampados na sede da Associação Comunitária dos Quilombolas da região.

Eles reclamam que está sendo atirado veneno na localidade, ação efetuada, supostamente, por aeronave de fazendeiros, segundo eles.

Leia também:

Após protestos de quilombolas, MA-262 é liberada em Matões

Disputas por terras em áreas quilombolas de Matões causam tensão na MA-262

Sedihpop afirma que acompanha protesto em Matões e fará relatório

Os quilombolas aguardam a visita de uma equipe da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema).

A Comissão da Pastoral da Terra teve acesso a um licenciamento ambiental concedido pela Sema que autoriza o uso de veneno na Fazenda Castiça, propriedade que fica situada dentro da área da comunidade Tanque de Rodagem.

Por sua vez, a Sema afirma que não emitiu nenhum documento autorizando o uso de veneno para desmatar terras em Matões. As áreas quilombolas de Tanque da Rodagem e São João estão licenciadas para atividades de silvicultura, plantio de eucalipto e que o desmatamento que está ocorrendo na região não tem autorização da Sema, diz a pasta. Uma equipe da Secretaria deve ir ao município nos próximos dias, segundo informou a Sema.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.