Caso Bruno Calaça

PM acusado de matar médico em Imperatriz é expulso da corporação

Adonias Sadda está preso em São Luís, onde aguarda julgamento.

Tatyna Viana / Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h59
Adonias Sadda foi expulso da Polícia Militar.
Adonias Sadda foi expulso da Polícia Militar. (Foto: arquivo pessoal)

IMPERATRIZ - O Conselho de Disciplina da Polícia Militar do Maranhão julgou procedente as acusações contra o policial Adonias Sadda e decidiu pela expulsão do militar da corporação. Adonias é acusado de assassinar o médico Bruno Calaça, com um tiro à queima-roupa, em uma boate de Imperatriz, crime ocorrido em julho deste ano.

Leia também:

Médico é assassinado a tiros em Imperatriz; suspeito do crime é um policial militar

Policial militar suspeito de assassinar médico é preso em Imperatriz

PM suspeito de matar médico em Imperatriz já responde a processo por atropelamento e morte de criança

PM que atirou contra médico em Imperatriz é transferido para presídio militar em São Luís

Conforme publicado no boletim geral nº 218 de 23 de novembro, tornado público nesta terça-feira (30), Adonias foi expulso por ter tido conduta que afetou a honra pessoal, o decoro da classe e por contrariar o artigo 40 da Lei n.6513/1995 e o Estatuto dos Policiais Militares, que trata das obrigações e deveres dos PMs.

Agora ex-PM, Adonias segue preso em São Luís e aguarda julgamento.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.