Após ser adiado quatro vezes

Julgamento do ex-PM do Maranhão suspeito de matar policial ocorre no fórum de Teresina (PI)

A vítima foi assassinada a tiros na frente do filho, que é menor de idade, em fevereiro de 2019, na área central da capital piauiense.

Imirante.com

- Atualizada em 28/09/2022 às 16h11
Ex-soldado da Polícia Militar do Maranhão, Francisco Ribeiro dos Santos Filho.
Ex-soldado da Polícia Militar do Maranhão, Francisco Ribeiro dos Santos Filho. (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

PIAUÍ - Após ser adiado quatro vezes, o julgamento do ex-soldado da Polícia Militar do Maranhão, Francisco Ribeiro dos Santos Filho, acontece nesta quarta-feira (28), no fórum da capital piauiense. De acordo com a Polícia Civil do Piauí, ele é suspeito de ter matado a tiros o cabo da polícia piauiense, Samuel de Sousa Borges. O homicídio aconteceu na frente do filho da vítima, que é menor de idade, no dia 1º de fevereiro de 2019, em Teresina.

Leia também: 

Justiça piauiense marca julgamento do ex-policial militar do Maranhão

Ex-PM do Maranhão que matou policial no Piauí será transferido

Policial militar do Piauí é morto a tiros em tentativa de assalto em Timon

O julgamento é conduzido pelo juiz da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri, Antônio dos Reis Nollêto e o Ministério Público está sendo representado pelo promotor Mário Carcará. O promotor de Justiça informou que trabalha com as provas que foram produzidas durante o inquérito policial. 

Ele ainda informou que desde o início da investigação sustenta que o acusado Francisco Filho matou o cabo Samuel Borges na frente do seu filho por motivo fútil sem dar chance de defesa da vítima. “Francisco Filho é julgado por esse homicídio qualificado e o Ministério Público sustentará essa pretensão diante do conselho de sentença”, disse o promotor de Justiça.

Já a defesa de Francisco Filho afirmou que vai sustentar que o caso ocorreu em legítima defesa. “Na verdade, o Ministério Público sustenta um homicídio doloso qualificado, mas o que aconteceu nesse fatídico dia foi uma legítima defesa, do servidor público Francisco Ribeiro, a forma como foi perseguido, agredido moralmente até o que aconteceu naquele dia”, apontou a defesa do suspeito.

Adiamento

O Poder Judiciário do Piauí adiou quatro vezes o julgamento de Francisco Filho. O julgamento deveria ter ocorrido inicialmente em outubro de 2021, mas foi adiado a pedido da defesa do ex-militar. 

Depois foi designado para o dia 30 de março e depois para 31 de maio deste ano. Estava marcado para ocorrer no dia 23 do mês passado, mas, acabou sendo adiado mais uma vez. O Poder Judiciário do Piauí marcou para o dia 28 de setembro deste ano.

Francisco Ribeiro estava preso no presídio militar do Maranhão, mas, após ser expulso da corporação em maio de 2021 foi transferido para uma unidade prisional no estado do Piauí, onde aguardava ser julgado pelo crime de homicídio.

Crime 

O ex-policial militar do Maranhão é suspeito de matar Samuel de Sousa Borges, de 30 anos, a tiros. Segundo a polícia, o cabo da PM do Piauí levou três tiros e morreu durante uma discussão com Francisco Ribeiro. O caso aconteceu no cruzamento das ruas Cândido Ferraz com Verbenas, bairro Jóquei Clube, na capital piauiense.

A polícia também informou que Samuel estava indo deixar o filho na escola quando teve início uma discussão. O garoto estava na garupa. Em vídeos que circularam nas redes sociais é possível ouvir a voz de uma criança informando que perdeu o pai. A vítima ainda foi socorrida, mas morreu a caminho do hospital.


 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.