Crueldade

Casal é preso suspeito de torturar bebê de quatro meses em Barra do Corda

A criança apresentava várias lesões pelo corpo, como mordidas e costelas quebradas.

Imirante.com

- Atualizada em 15/11/2022 às 08h40
Bebê foi vítima de tortura em Barra do Corda.
Bebê foi vítima de tortura em Barra do Corda. (Foto: Arte / Imirante)

BARRA DO CORDA – Um casal foi preso suspeito de torturar o próprio filho, de quatro meses, no município de Barra do Corda, no último sábado (20).

O bebê foi transferido para o hospital de São Luís depois de passar por uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barra do Corda. Os pais estão presos, suspeitos de torturarem o próprio filho.

A criança apresentava várias lesões pelo corpo, como mordidas e costelas quebradas, de acordo com informações do delegado Daniel Arruda.

“O inquérito vai tentar determinar se essas lesões, essas mordidas e costelas quebradas foram causadas pelos próprios pais ou se eles se omitiram. O crime pode ser cometido tanto por ação quanto por omissão. Então, eles podem responder também por se omitirem e permitirem que outra pessoa tenha causado essas lesões”, explicou o delegado Daniel Arruda.

Leia mais:

Bebê de quatro meses morre após ser atingido por tiro de espingarda disparado pela irmã de oito anos

Bebê que teve corpo queimado morre em hospital de Imperatriz

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil para determinar se os pais praticaram a tortura contra o bebê ou se foram omissos diante da situação. 

Segundo o defensor público Joaquim Gonzaga Neto, ainda é cedo para saber por qual crime o casal deve responder.

“Nesse caso, para além da responsabilidade penal pela agressão, que pode ir de uma lesão corporal até tentativa de homicídio, nós temos a área cível, que em situações como essa, onde a criança se encontra hospitalizada, a criança passa a estar sob a tutela e responsabilidade do Estado”, destaca o defensor público.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.