Ato criminoso

Professor é indiciado por assédio sexual contra aluna em Barra do Corda

Segundo a polícia, o educador teria tentado marcar encontro amoroso e em troca daria boas notas para a vítima que é menor de idade.

Imirante.com

- Atualizada em 24/05/2022 às 19h00
O professor de Barra do Corda foi indiciado por assédio sexual.
O professor de Barra do Corda foi indiciado por assédio sexual. (Foto: Arte / Imirante)

BARRA DO CORDA - A Polícia Civil indiciou um professor de ensino médio, nome não revelado, por assédio sexual. Segundo a polícia, o docente é suspeito de ter assediado uma de suas alunas de uma escola da cidade de Barra do Corda, interior do Maranhão.

Leia também em: 

Estudante de 10 anos ateia fogo em professora dentro de escola em Barra do Corda

Ex-vereador de Barra do Corda é preso suspeito de estupro de vulnerável

O delegado Daniel Arruda informou que os pais da vítima que fizeram a denúncia na delegacia dessa cidade no final do ano passado. Eles disseram que o professor teria ligado e enviado mensagens para a estudante, que é menor de idade, com o objetivo de marcar encontro amoroso. Em troca do encontro amoroso, o educador colocaria notas boas no boletim escolar da vítima. 

O delegado declarou que a denúncia foi apurada e resultou no indiciamento do possível autor desse crime, mas, a palavra final em relação a culpa do indiciamento será dada pela Justiça. 

Ordem judicial 

Na primeira semana do mês de abril deste ano, o juiz Antônio Queiroga Filho, da 1ª Vara da Comarca de Barra do Corda, decretou a prisão preventiva de professor indicado pela Polícia Civil pela prática de abusos sexuais contra sua afilhada, iniciados quando a vítima teria apenas cinco anos de idade.

Os abusos ocorriam na casa do suspeito, que se aproveitava da liberdade e controle sobre a vítima em decorrência da confiança que tinha da família e usava desculpa de dar aulas particulares e ajudar nas tarefas escolares por ser professor. Os abusos chegaram ao fim porque a vítima fez a denúncia, retratada em relatório de escuta especializada do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), onde foram constatados “traumas psicológicos e ansiedade patológica”, com recomendação de acompanhamento psicossocial. 

O inquérito policial foi instaurado na polícia civil após o recebimento da denúncia dos abusos praticados ao longo de sete anos. Os abusos sexuais se referem a atos diferentes da conjunção carnal. Após a conclusão da investigação policial, o professor foi indiciado pela prática do crime de estupro de vulnerável, tipificado no artigo 217 do Código de Processo Penal.

 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.