Homenagem

Prefeitura de São Luís homenageia pregoeiros com monumentos na Praça Nauro Machado

A estátua do sorveteiro tem 2,60m de altura considerando a caixa que traz acima da cabeça e pesa aproximadamente 360 kg.

Na Mira com informações da assessoria

- Atualizada em 15/09/2022 às 12h22
Dona Corina, vendedora de pirulitos artesanais, será uma das homenageadas.
Dona Corina, vendedora de pirulitos artesanais, será uma das homenageadas. (Foto: Reprodução/Felipe Spider)

SÃO LUÍS - Personagens históricos das ruas de São Luís, os pregoeiros - vendedores ambulantes que anunciam de um jeito peculiar seus produtos - serão homenageados pela Prefeitura no mês em que a capital celebra seus 410 anos de fundação.

Na sexta-feira (16), às 17h, na Praça Nauro Machado, a Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph) e o Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur), inauguram duas estátuas em homenagem a estes profissionais que fazem parte da história da cidade. 

Os monumentos aos pregoeiros, representados pelo sorveteiro e pela vendedora de pirulitos, foram confeccionados pelo artista Eduardo Sereno, em zirconita, em dimensões inspiradas na realidade, contaram com patrocínio da Alumar e o apoio da Fundação Nagib Haickel. O projeto de instalação das peças foi elaborado pela Fumph e executado pelo Impur.

 A estátua do sorveteiro tem 2,60m de altura considerando a caixa que traz acima da cabeça e pesa aproximadamente 360 kg. A obra foi inspirada no pregoeiro Antônio José Coelho, conhecido como Bem-te-vi, personagem ilustre do Centro Histórico de São Luís, que exerce a função há mais de 40 anos.

 “Gosto muito de fazer esse serviço, de conhecer e falar com muitas pessoas, não me vejo fazendo outra coisa, tenho orgulho desse ofício. Fiquei muito feliz, nunca imaginei ser homenageado dessa forma, se já tinha orgulho da minha profissão, agora tenho muito mais, muito feliz por ter lembrado de mim”, disse Bem-te-vi. 

Já a estátua da vendedora de pirulitos possui 1,54m de altura e cerca de 130 Kg, e tomou por referência Dona Corina, outra personagem marcante das ruas do Centro Histórico, que exerceu o ofício por mais de 40 anos.

“Olha o pirulito, enrolado no papel e enfiado no Palito. Quem come fica bonito...”, era o pregão cantarolado por Dona Corina pelas ruas do Centro Histórico.

Os pregoeiros acompanharam as transformações da cidade no decorrer dos séculos. Eles já tiveram sua importância histórica reconhecida na literatura, música e pintura, inspiraram pesquisas e documentários e ainda resistem às transformações de hábitos e costumes.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.