"Fadinha" do skate

Maranhense Rayssa Leal faz seu primeiro treino já em Tóquio

Esperança de medalha no skate street, a maranhense de 13 anos, atleta mais jovem da história da delegação brasileira, treinou nesta terça-feira, 20, no local que será disputada a competição
Eduardo Lindoso/ O Estado 20/07/2021 às 15h13
Rayssa Leal em atividade no local que receberá a competição de skate

SÃO LUÍS – Atleta mais nova da história da delegação brasileira a disputar uma Olimpíada, com 13 anos e alguns meses de idade, a skatista maranhense Rayssa Leal, que já se juntou a outros atletas e representantes do Maranhão em Tóquio, iniciou a reta final de preparação para os jogos. Nesta terça-feira (20), ocorreu o primeiro treino oficial da equipe brasileira de skate, no Ariake Sports Park Skateboarding, palco oficial da modalidade, e a “Fadinha” estava entre os seis brasileiros em atividade. A estreia do skate será no dia 25, com o street masculino. No dia 26, as mulheres entram na competição.

Os atletas foram para a pista para uma sessão inicial de preparação para as disputas. E, já com o uniforme oficial da delegação brasileira de skate, Rayssa Leal agradeceu em suas redes sociais. “Obrigada Deus pela oportunidade de fazer o que mais amo!”, postou ela, ao lado dos companheiros de seleção.

Assim como a Fadinha, outra atleta da delegação, e também favorita a uma medalha, Leticia Bufoni falou sobre o momento. “Quando eu comecei a andar de skate nunca imaginei que um dia o esporte fosse fazer parte dos Jogos Olímpicos. Quando soube, em 2016, que isso iria acontecer, vi que seria um sonho a ser realizado. Parece que demorou muito para chegar esse dia, foi um processo longo, difícil, com muitas competições para poder viver esse momento único”, disse em entrevista ao site do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Representando o Brasil, no street feminino estão Leticia Bufoni, Pâmela Rosa e Rayssa Leal. No masculino, integram o time Felipe Gustavo, Giovanni Vianna e Kelvin Hoefler.

Fadinha e seus companheiros de seleção em treino

Mais sobre a “Fadinha”

Rayssa Leal se destacou na modalidade skate street após ter um vídeo caseiro em que ela executa manobras fantasiada de fada por ruas da cidade de Imperatriz, que viralizou no país. Depois disso, a jovem se profissionalizou. Rayssa chegou a concorrer ao prêmio Laureus, a principal premiação do universo esportivo. Fadinha proporcionou um momento histórico para o skate brasileiro, em Los Angeles. A maranhense, que tinha apenas 11 anos, conquistou pela primeira vez uma etapa da SLS (Mundial de Skate Street), se tornando a mais jovem atleta a conseguir essa façanha.

A maranhense pode fazer história ainda mais. Rayssa pode se tornar a pessoa mais jovem, entre homens e mulheres, a ter uma medalha de ouro olímpica. Entre homens e mulheres, a mais jovem a ser campeã é a americana Marjorie Gestring que, com 13 anos e nove meses, levou o ouro nos saltos ornamentais, em Berlim-1936. Também há registro da nadadora Elizabeth Verona, 13 anos e 129 dias, campeã do revezamento 4x100m livre da natação, em Roma 1960, resultado que nunca foi oficializado, pois ela só nadou as eliminatórias, segundo registros oficiais.

A atleta mais jovem do Brasil a participar de uma Olimpíada, Rayssa pode, também, ser também a mais jovem a subir, e bater o recorde de Rosângela Santos, bronze em Pequim 2008, com 17 anos, no 4x100m do atletismo. Entre os homens, com menos idade a ser campeão, Gabriel Jesus, que, com 19 anos e três meses, foi campeão no futebol, na Rio 2016, é o recordista. A mulher mais nova a ser campeã é Thaisa, ouro com 21 anos no vôlei em Pequim 2008.

Leia outras notícias em ImiranteEsporte.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.