Do Maranhão

Estudantes maranhenses criam satélite de sucata e competem em evento nacional

A equipe maranhense é única entre as escolas públicas do Nordeste.
Imirante.com, com informações da Assessoria20/05/2020 às 10h06
Estudantes maranhenses criam satélite de sucata e competem em evento nacionalA classificação veio através da submissão de um projeto de nanossatélite, o CanSat. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS - Um dos destaques do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), em 2019, foi o trabalho com nanossatélites desenvolvido pelo Grupo de Estudos Aeroespaciais (GEA) da unidade plena de Axixá. A iniciativa rendeu aos estudantes a classificação para a participação no 3º CubeDesign, competição realizada pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (INPE).

A equipe composta por alunos, ex-alunos e professores foi a primeira do Maranhão selecionada para a disputa, única entre as escolas públicas do Nordeste. A classificação veio através da submissão de um projeto de nanossatélite, o CanSat – pequeno satélite construído à base de sucata e produtos de baixo custo.

Para a gestora geral da unidade plena do IEMA de Axixá, Léa Cristina, o grupo trabalha desde sua criação, em 2018, visando a essa conquista. “Estamos radiantes com a classificação da nossa equipe que foi selecionada para participar do maior evento de satélites do Brasil. Estar entre os melhores era nosso sonho desde quando começamos a trabalhar com satélites na unidade”, declarou.

De acordo com o coordenador de laboratórios do IEMA, Jhonny Erick, a conquista é motivo de muito orgulho. “Estudar pequenos satélites é muito complexo, pois nossas referências são todas em língua estrangeira e temos poucas bibliografias no nosso país. Estudamos muito, contamos com a ajuda de pesquisadores do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), buscamos tradução dos artigos em inglês para conseguir avançar no projeto. Estamos muito felizes, pois é a concretização de um sonho”, contou o coordenador, acrescentando que é muito importante representar o Maranhão e as escolas públicas do Nordeste.

O ex-aluno Samuel Amaral, que participa do Grupo de Estudos, destacou a relevância da classificação. “Para nós, que estamos dedicados ao projeto, significa que exercemos nossa autonomia e alcançamos aquilo que sonhamos desde a criação do grupo. O CubeDesign é um sonho antigo. É muito gratificante estar entre os classificados, pois trabalhamos duro para alcançarmos esse êxito”, ressaltou.

O CubeDesign é uma competição de desenvolvimento de pequenos satélites. A terceira edição do evento foi adiada, para o ano vem, devido à pandemia do novo coronavírus. A competição acontecerá em julho de 2021, em São José dos Campos (SP).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.