Revolta e comoção

Motoristas da Uber fazem carreata em protesto após morte de colega de profissão

O motorista Edmilson Pimenta Azevedo foi enterrado na tarde desta segunda (7), no cemitério do bairro São Cristóvão, em São Luís.
Imirante.com07/01/2019 às 18h07
Cerca de 800 motoristas da Uber fizeram uma carreata pelas ruas do bairro do Cohatrac, seguindo até o local do velório. / Foto: Divulgação.

SÃO LUÍS - A tarde desta segunda-feira (7) foi marcada por muita comoção e revolta, no velório do motorista da Uber Edmilson Pimenta Azevedo, de 54 anos, o qual foi assassinado a tiros, na noite desse domingo (6), depois de realizar uma corrida no bairro Liberdade, em São Luís.

Edmilson Pimenta Azevedo, de 54 anos, foi assassinado a tiros. / Foto: Reprodução/TV Mirante.

Relembre o caso: Motorista de Uber é assassinado a tiros na Liberdade

Em forma de protesto contra a violência e de solidariedade com a família e amigos da vítima, cerca de 800 motoristas da Uber fizeram uma carreata pelas ruas do bairro do Cohatrac, seguindo até o local do velório.

Cerca de 800 motoristas da Uber a carreata pelas ruas do bairro do Cohatrac . / Foto: Gilmar de Lima.

De acordo com os participantes da carreata, esse é o terceiro homicídio praticado contra motoristas de aplicativos na Grande São Luís, em pouco mais de um mês. Eles afirma que, no mês de dezembro, dois motoristas foram mortos, um no Maracanã e outro no Coroadinho.

Enterro de Edmilson Pimenta Azevedo. / Foto: Gilmar de Lima.

O motorista Edmilson Pimenta Azevedo foi enterrado na tarde desta segunda (7), no cemitério do bairro São Cristóvão, em São Luís.

Por meio de nota, a Uber se manifestou sobre o caso.

Estamos profundamente entristecidos em saber que o Edmilson Azevedo foi vítima desse crime terrível. Compartilhamos nossos sentimentos de mais profundo pesar com a família do Edmilson. A Uber está à disposição para colaborar com as investigações, na forma da lei, e esperamos que as autoridades tragam o responsável à justiça o mais rápido possível.

Sobre a segurança do aplicativo, a Uber afirmou que:

Sabemos que, infelizmente, a violência urbana permeia a vida nas cidades, afetando a vida de cidadãos que apenas querem se deslocar ou trabalhar.

A segurança é uma prioridade para a Uber, por isso, a empresa sempre busca aprimorar sua tecnologia para fazer da plataforma a mais segura possível antes mesmo da viagem começar. A empresa adotou no Brasil a tecnologia de machine learning que bloqueia viagens consideradas mais arriscadas. O aplicativo exige do usuário que quiser pagar somente em dinheiro que insira o CPF e data de nascimento para confirmar sua identificação. Todas as viagens são registradas por GPS e o motorista também pode compartilhar a localização, o trajeto e o tempo de chegada em tempo real com quem desejar.

Os motoristas também podem ligar para a polícia em situações de risco ou emergência diretamente do app. Além disso, os parceiros contam com um número de telefone 0800 para registrar e solicitar apoio da Uber depois que tiverem comunicado às autoridades e estiverem em segurança. O aplicativo da Uber permite ainda que solicitações de viagens sejam canceladas por motoristas parceiros sinalizando motivo de segurança quando não se sentirem confortáveis.

A empresa está sempre avaliando e estudando novas medidas que possam aprimorar a segurança.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.