Investigação

"Caso está praticamente elucidado" diz delegado sobre morte de Davi Aragão

Dos três suspeitos, apenas um continua foragido.
Imirante.com / com informações da rádio Mirante AM07/05/2018 às 18h05
"Caso está praticamente elucidado" diz delegado sobre morte de Davi AragãoDelegado Davi Aragão era chefe do departamento Fazendário da Polícia Federal. (Foto: divulgação)

SÃO LUÍS - Prestou depoimento a mãe do adolescente, apreendido na manhã desta segunda-feira (7), autor confesso das facadas que mataram o delegado de Polícia Federal Davi Aragão. O crime aconteceu na noite de sábado (5). Em entrevista à rádio Mirante AM, o delegado Jeffrey Furtado deu mais detalhes sobre o caso.

Leia também: Delegado da Polícia Federal assassinado durante assalto é enterrado em São Luís

Os três suspeitos foram identificados como Wanderson Baldez Costa (que já foi preso), o adolescente de 17 anos e Davi Costa Martins, que ainda se encontra foragido, mas já está com a prisão preventiva decretada.

De acordo com informações do delegado Jeffrey Furtado, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), no momento em que Wanderson Baldez, foi preso, ele confessou a participação no crime e apontou o nome dos seus comparsas. Logo, equipes da SHPP saíram em busca dos outros dois suspeitos do latrocínio.

Já na manhã desta segunda-feira (7), o adolescente foi encontrado. Ele estava escondido em um quitinete, no bairro Divinéia. O menor de idade ainda tentou fugir, mas foi capturado pelos policiais.

Conforme informações do delegado Jeffrey Furtado, em seu depoimento, o menor de idade contou que eles não tinham um alvo certo para praticarem a ação criminosa. “Eles contaram que como já estava muito tarde, desceram para praia e viram movimento apenas nessa casa”, explica Jeffrey Furtado.

Ainda de acordo com o delegado, os criminosos entraram pela casa ao lado, onde pularam o muro, chegando ao quintal da casa de praia da vítima. “Como eles chegaram pelo fundo da casa, as pessoas que estavam na varanda foram pegas de surpresa”, relata o delegado Jeffrey Furtado.

O delegado responsável pelo caso conta ainda que assim que chegaram na casa de Davi Aragão os criminosos foram logo subtraindo os pertences das vítimas. “O adolescente informou que portava uma faca e que seu comparsa, Davi Costa, estava com um simulacro de pistola. Em um dado momento a vítima reagiu e deu um disparo, foi quando começou uma luta corporal entre Davi Costa e o delegado Davi Aragão. Nesse momento, foi quando o menor de idade deferiu os golpes de faca que atingiram as costas do delegado. O adolescente contou também que foi aí que a arma de Davi Aragão caiu no chão o outro criminoso, o Davi Costa, pegou a arma e efetuou os disparos contra o delegado”, conta Jeffrey Furtado.

Em seu depoimento, o adolescente relatou que após a ação criminosa os três se evadiram do local.

De acordo com o delegado Jeffrey Furtado, as armas que foram usadas no crime ainda não foram encontradas.

Sobre a possível participação de outras pessoas, o delegado Jeffrey Furtado conta que tudo indica que só os três suspeitos foram responsáveis pela ação criminosa e que o caso está quase elucidado. “Até o presente momento, baseado em tudo que já foi colhido, nos leva a crer que foram só os três indivíduos, mas o inquérito ainda está em andamento”, ressalta o delegado responsável pelo caso.

Ainda de acordo com os depoimentos do adolescente e de Wanderson Baldez Costa, os três criminosos não sabiam que na residência estava ocorrendo uma festa infantil e nem que era de um delegado federal. “Os três suspeitos são acostumados a praticarem assaltos juntos”, conta o delegado Jeffrey Furtado.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.