Depoimento

Coronel acusado de matar genro se apresenta a polícia e é liberado

O militar foi ouvido durante a tarde desta sexta-feira (16) e afirmou que o genro agredia a sua filha.
Imirante.com / com informações da rádio Mirante AM16/02/2018 às 19h21
Coronel acusado de matar genro se apresenta a polícia e é liberadoDavi Bugarin foi morto com dois tiros nas costelas. (Foto: divulgação)

SÃO LUÍS – Se apresentou, na tarde desta sexta-feira (16), o tenente coronel reformado da Polícia Militar Walber Pestana da Silva, apontado como o autor da morte do empresário Davi Bugarin, 26 anos, na noite dessa quinta-feira (15), em São Luís.

Relembre o caso:

Dono de casa de shows é assassinado pelo sogro em São Luís

Namorada de jovem morto pelo sogro ainda não prestou depoimento

De acordo com o delegado Lúcio Rogério, titular da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), o coronel Walber Pestana foi ouvido durante a tarde desta sexta-feira (16). Entretanto, o militar reformado não foi preso, pois não havia situação de flagrante contra ele, sendo liberado após prestar depoimento e entregar a arma de fogo usada no crime.

O PM afirmou, em depoimento, que sua filha mantinha uma união estável com Bugarin há cerca de 1 ano. E, durante o Carnaval ela viajou com as amigas, mas quando voltou para casa, acabou sendo agredida pelo namorado, o qual chegou a deixá-la trancada dentro da residência.

“O senhor Walber afirmou que as agressões começaram desde às 5h de quinta-feira (15), seguindo o dia inteiro. Ele disse que quando chegou em casa, por volta das 18h, encontrou a residência com vários cômodos arrombados, sendo que Davi contou que arrombou as portas porque a namorada estava se escondendo dele. Aí teve início uma discussão”, explica o delegado Lúcio Rogério.

Ainda em depoimento, o PM alegou que tentou acalmar o genro, o qual ainda chegou a pegar uma faca para se ferir, dizendo que ia se matar, mas o coronel conseguiu tomar a faca dele.

“Mas, quando a esposa do PM chegou em casa, o Davi ficou mais violento, foi quando o PM afirmou que foi ao quarto e pegou uma arma. Ele alegou que Davi avançou para cima dele com uma faca, então ele deu um tiro de advertência que pegou em uma parede. Mas, como o genro não se deteve, o PM disse que atirou contra ele, atingindo a costela esquerda do jovem, o qual continuou seguindo em direção ao sogro, que disparou mais um tiro na costela do genro”, informou o delegado.

Lúcio Rogério afirma que o caso continua sendo investigando e tudo o que coronel Walber Pestana disse em depoimento será averiguado. Até o momento, duas testemunhas que moram nas proximidades da casa onde o crime aconteceu já foram ouvidas, e outras pessoas também ainda serão interrogadas, para que o caso seja concluído.

Entenda o caso:

O coronel reformado Walber Pestana assassinou Davi Bugarin com dois tiros, na noite dessa quinta-feira (15), no bairro Parque dos Nobres, na capital maranhense.

Segundo a polícia, o crime aconteceu após Walber Pestana presenciar sua filha sendo agredida pelo namorado Davi Bugarin. Inconformado, o coronel reformado disparou dois tiros contra o jovem que morreu.

Davi Bugarin era músico e dono de uma casa de shows, no Centro de São Luís.

Ouça a entrevista completa que o delegado Lúcio Rogério deu, na rádio Mirante AM, falando sobre o depoimento do coronel Walber Pestana:

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.