Em Presidente Dutra

Vigia é preso após estuprar adolescente de 12 anos por cerca de 5 horas

O idoso de 66 anos arrastou a vítima, à força, para dentro de casa, a violentou e depois tentou matá-la.
Imirante.com, com informações da Mirante AM28/08/2019 às 16h50

PRESIDENTE DUTRA – Um idoso de 66 anos de idade, identificado como Antônio Alves de Farias, conhecido como “Tota”, foi preso nessa terça-feira (27), acusado de estuprar uma adolescente de 12 anos. Segundo informações da polícia, o estupro aconteceu na última segunda (26), na casa do idoso, no bairro de Fátima, em Presidente Dutra.

Antônio Alves de Farias, conhecido como “Tota”. / Foto: Divulgação.

Segundo relatos da vítima, Antônio Alves, que é vigia de uma escola particular da cidade, a manteve em cárcere privado por mais de 5h, sendo que durante todo esse período o homem a abusou sexualmente, de diversas formas.

A menina contou à polícia que havia saído de casa para ir comprar comida, quando foi abordada pelo vigia, que estava armado. A adolescente afirma que o idoso a arrastou para dentro de casa, e depois amarrou as mãos e os pés dela. Após ser mobilizada, o vigia a violentou por mais de 5 horas. Depois de praticar os abusos, o homem tentou esganar a menina, utilizado um cadarço.

Ainda segundo a vítima, ela só conseguiu escapar após fingir estar morta. Aproveitando um descuido do vigia, a adolescente afirma ter conseguido fugir, se abrigando na casa de um vizinho. A menina foi socorrida e levada para um hospital para receber tratamento médico e psicológico.

A polícia foi acionada e iniciou as buscas por Antônio Alves, o qual fugiu após a vítima se libertar. O idoso só foi localizado nessa terça, quando a polícia foi informada de que ele estaria tentando fugir pela MA-034, entre o povoado Baú e a cidade de Caxias. A polícia encontrou o vigia, o qual estava em uma motocicleta e não atendeu a ordem de parada, continuando a tentativa de fuga. Para deter o acusado, a guarnição atirou na perna do vigia e o prendeu.

O homem foi levado para um hospital em Caxias e, após ser liberado pelos médicos, ele foi levado à Delegacia, onde confessou o crime. Durante revista na casa do vigilante, a polícia encontrou uma arma de fogo calibre 38, além de caixas com preservativos e material pornográfico.

Material apreendido na casa de Antônio Alves de Farias. / Foto: Divulgação.

Antônio Alves de Farias irá responder pelo crime de estupro de vulnerável, além de tentativa de homicídio.

Ouça, na reportagem de Domingos Ribeiro da Mirante AM, mais detalhes desse caso.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.