Tribunal do júri

Acusados de tentativas de homicídio por emboscada serão julgados em Parnarama

Dois réus são acusados de tentar matar um homem por emboscada e o outro réu é acusado de tentar matar o padrasto da ex-companheira, também por emboscada.
Divulgação/CGJ-MA15/09/2021 às 16h38
Acusados de tentativas de homicídio por emboscada serão julgados em ParnaramaFoto: Divulgação

PARNARAMA - O Poder Judiciário da Comarca de Parnaraparnama tem duas sessões do Tribunal do Júri agendadas para a próxima semana, nos dias 21 e 22, terça e quarta-feira, respectivamente. Os júris serão presididos pela juíza Sheila Silva Cunha, titular da unidade judicial. Na primeira sessão os réus são Francisco Leonardo Pinheiro da Silva e Daniel Costa Barros, acusados de crime de tentativa de homicídio que teve como vítima Igor Silva Araújo.

Destaca a denúncia que os dois acusados, em 4 de março de 2019, por volta das 13h, na rua 5 do Bairro Agrovema, os denunciados, teriam tentado contra a vida de Igor Silva Araújo. Segue narrando que foram disparados nove tiros na vítima. Destes, três atingiram Igor, que ainda conseguiu fugir e entrou correndo na residência de uma pessoa conhecida como Ferreira. A denúncia esclarece, ainda, que o delito foi cometido mediante emboscada, pois os denunciados estavam aguardando a vítima passar para matá-la. Os dois homens foram encontrados na casa de Francisco Leonardo, conhecido na cidade pelo apelido de ‘Léo Boi’. Na casa dele, a polícia encontrou cerca de 3 quilos de maconha.

Vingança por término de relacionamento

Na outra sessão, marcada para o dia 22, o réu será Francisco das Chagas Lucena, também acusado de crime de tentativa de homicídio, praticado contra Manoel Rodrigues da Silva. Versa a denúncia deste caso que Francisco das Chagas, conhecido como ‘Chico do Noca’, teria tentado matar Manoel utilizando-se de uma faca, durante emboscada, em 2 de setembro de 2019. O crime ocorreu no Bairro Agrovema. Manoel é padrasto da ex-companheira do denunciado. O motivo do crime, segundo apurado pela polícia, seria o fato de Francisco não aceitar o término do relacionamento.

Em depoimento, a vítima confirmou que é padrasto da ex-companheira do réu, a qual conviveu em união estável com o autor do fato durante oito anos. Ademais, afirmou que a ex-mulher do acusado sofria agressões e ameaças de morte por parte de ‘Chico do Noca’, que inclusive já teria sido preso em flagrante por tais motivos. Ainda conforme depoimento da vítima, o acusado, no mesmo dia do fato, teria rondado a sua casa, proferindo ameaças de morte contra ele e sua filha adotiva. Em resumo, reiterou o que havia alegado perante a autoridade policial. Inquirido pelo advogado do réu, a vítima informou que no momento portava uma faca pequena, instrumento utilizado no seu trabalho, com a qual tentou se defender, mas sem sucesso.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.