Consumidor | Adaptação

Pesquisa aponta dificuldade de lojistas com e-commerce

61% demonstraram dificuldade no uso do marketing e pouco menos da metade não tem interesse na aplicação das ferramentas
13/09/2021 às 17h36
Pesquisa aponta dificuldade de lojistas com e-commerceMuitos lojistas ainda têm dificuldades para se adaptarem ao ecommerce (Divulgação)

São Luís - Com a popularização da internet e da comunicação instantânea entre as pessoas, potencializadas hoje pelo distanciamento social por conta da pandemia, o e-commerce (comércio digital) tem sido uma ferramenta importante para os empresários nas vendas e captação de clientes. Segundo o relatório da Mastercard SpendingPulse, um indicador de vendas no varejo, a modalidade de vendas online apresentou um crescimento de 75% em 2020 no Brasil, comparado ao ano anterior, quando o mundo ainda não sofria com os impactos da Covid-19.

Porém, é comum muitos lojistas ainda terem dificuldades para se adaptarem a essa prática. Uma pesquisa da Bis2Bis, com a colaboração do E-Commerce Brasil, apontou as principais barreiras encontradas pelos lojistas. Na ocasião, 61% responderam que o marketing é o principal desafio na rotina das empresas, seguido por 46% na logística digital e 40% na gestão dessas ferramentas.

Ainda sobre a pesquisa, 76% dos lojistas afirmam que o Instagram é o meio mais usado. E, mesmo sendo as redes sociais um dos canais mais eficientes na atualidade para conversão de vendas, 42% dos lojistas demonstraram ser contra melhorias no marketing de suas empresas, uma demonstração da resistência de muitos à tecnologia.

O professor do curso de Marketing de uma faculdade particular, James Pimentel, aponta que, com as novas ferramentas que as redes sociais trouxeram, a forma de fazer publicidade mudou. Agora tem mais a ver com entretenimento, muito diferente do que as pessoas estão acostumadas. É nesse ponto que os empresários encontram dificuldades, porque é preciso habilidades específicas: se soltar, envolver-se, dar cara – literalmente – ao negócio para encantar a audiência.

“As pessoas não querem saber somente se aquele produto está com oferta, querem saber também o que aquele produto irá trazer de valor nas suas vidas e o que essa marca faz pelo mundo”, completa o especialista.

Ele ainda pontua que os empresários precisam investir e confiar mais na equipe de marketing que contrata. ”Mesmo sem concordar, uma opinião profissional pode levantar o número de vendas e fazer com que a publicidade tenha os resultados esperados”, pontua.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte