Editorial | Opinião

Armas e violência doméstica

17/07/2021

Já são mais de 30 decretos e portarias do governo federal que flexibilizaram as regras para a aquisição de armas e de munições. E as consequências são graves. Após dois anos em queda, as mortes violentas voltaram a crescer no Brasil em 2020, conforme dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Ao todo, foram notificados 50.033 assassinatos no país durante a pandemia de Covid-19, ou seja, o equivalente a uma morte a cada dez minutos, ou 4,8% a mais em relação a 2019. Não é verdadeiro o argumento de que flexibilizar o acesso às armas de fogo é uma forma de prover segurança à população.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte