O Mundo | Desempregos

EUA estão em "buraco profundo" mas ajuda pode recuperar emprego em 2022, diz secretária do Tesouro

Janet Yellen disse que os Estados Unidos está em um "buraco profundo" no que diz respeito ao mercado de trabalho e que há "um longo caminho a percorrer" para a recuperação
08/02/2021 às 00h00
EUA estão em "buraco profundo" mas ajuda pode recuperar emprego em 2022, diz secretária do TesouroJanet Yellen disse ainda que para recuperação do EUA há um "longo caminho a percorrer" (Divulgação)

Washington - A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse no domingo, 7, que o país ainda está em um "buraco profundo" no que diz respeito ao mercado de trabalho e que há "um longo caminho a percorrer" para a recuperação. Ela afirmou, contudo, que o plano de alívio de US$ 1,9 trilhão do presidente Joe Biden pode gerar crescimento suficiente para restaurar o pleno emprego no próximo ano.

Yellen, ex-presidente do Federal Reserve que é a primeira mulher a liderar o Departamento do Tesouro, disse que o banco central tem as ferramentas para lidar com qualquer ameaça inflacionária potencial. Ela disse que a necessidade urgente agora é lidar com os problemas levantados pela recessão induzida pela pandemia, como desemprego, perda de pequenos negócios e reabertura de escolas. "Enfrentamos um enorme desafio econômico aqui e um tremendo sofrimento no país. Temos que resolver isso", disse Yellen. "Esse é o maior risco."

Yellen participou dos programas "Face the Nation", da CBS, e do "State of the Union", da CNN, depois que a Câmara e o Senado dos EUA aprovaram na semana passada a legislação necessária para aprovar o pacote de Biden por meio de um processo conhecido como reconciliação, que requer apenas 51 votos no Senado. O Senado está dividido em 50-50, com a vice-presidente Kamala Harris como o voto de desempate.

Questionada se o governo não arrisca seu capital político agora com o pacote de estímulo quando talvez precise dele para um programa de criação de vagas futuro, Yellen disse que haverá outro projeto de lei que abordará a criação de empregos por meio do desenvolvimento de infraestrutura, do investimento em pessoas, educação e treinamento, da abordagem das mudanças climáticas e da melhoria da competitividade da economia.

"Mas, agora, este pacote fará muito para criar empregos. Os gastos que ele vai gerar vão criar demanda por trabalhadores, ajudar a colocar as pessoas de volta no trabalho, principalmente quando conseguirmos colocar as vacinas e a saúde pública no ponto de a economia começar a se abrir novamente", disse Yellen. "E ele fornece suporte e alívio."

O governo informou na sexta-feira que a economia criou apenas 49 mil empregos em janeiro depois de ter perdido empregos em dezembro. Yellen disse que os relatórios levantaram temores de que o mercado de trabalho está estagnando com 10 milhões de pessoas ainda desempregadas e 4 milhões que abandonaram o mercado de trabalho.

Citando um relatório do Escritório de Orçamento do Congresso, Yellen disse que a taxa de desemprego pode permanecer elevada nos próximos anos e que pode demorar até 2025 para fazer o desemprego voltar a 4%. A taxa de desemprego havia atingido o menor patamar em meio século, de 3,9%, um ano atrás, antes da pandemia.

Ela afirmou, contudo que, se o pacote de ajuda de Biden for aprovado, o país pode voltar ao pleno emprego no próximo ano. "Não há absolutamente nenhuma razão para que devamos sofrer por uma longa e lenta recuperação", disse Yellen. Fonte: Associated Press.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte