Política | Covid-19

Dino contradiz União e reafirma a necessidade de compra de seringas

Palavra oficial do governo foi anunciada pelo governador Flávio Dino (PCdoB), que defendeu o uso de Lei Delegada da década de 1960, para assegurar "livre distribuição" do produto; vacinação ainda não tem previsão para início
Thiago Bastos/ Da Editoria de Política07/01/2021

O Maranhão defende - ao contrário da política encabeçada pelo Governo Federal - a compra imediata de novo lote de seringas para armazenamento e uso futuro na aplicação de doses da vacina contra o coronavírus. A União suspendeu a aquisição do produto por considerar que os preços de mercado, considerando a alta demanda do país, estão acima da média.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte