O País | Pandemia

19% dos caminhoneiros foram diagnosticados ou acreditam já ter contraído a Covid-19

Pesquisa da FreteBras também mostra que 59% dos motoristas passaram a usar máscara
05/01/2021 às 15h28
19% dos caminhoneiros foram diagnosticados ou acreditam já ter contraído a Covid-1959% dos profissionais passaram a utilizar máscaras na presença de outras pessoas para ajudar a impedir a propagação do coronavírus (Divulgação)

São Paulo - A FreteBras, maior plataforma online de transporte de cargas da América do Sul, apresenta uma pesquisa inédita sobre os riscos enfrentados pelos caminhoneiros durante a pandemia do coronavírus. Na linha de frente para garantir o abastecimento da população, 19% dos motoristas foram diagnosticados ou acreditam já ter contraído a Covid-19.

“Os caminhoneiros ficaram extremamente vulneráveis ao vírus pela profissão. Enquanto grande parte da população estava em casa, eles percorriam as estradas pelo Brasil ou estavam carregando e descarregando alimentos, combustíveis e remédios para abastecer os centros de distribuição”, explica Bruno Hacad, diretor de Operações da FreteBras.

Com o elevado risco de contágio, 59% dos profissionais passaram a utilizar máscaras na presença de outras pessoas para ajudar a impedir a propagação do coronavírus. Eles também ficaram mais preocupados com a própria saúde. Segundo a pesquisa, 30% dos motoristas começaram a se alimentar de maneira mais saudável durante a pandemia.

“O estudo mostra um real cenário do que os caminhoneiros passaram nesses nove meses de pandemia que enfrentamos em 2020. No período mais duro da quarentena, a FreteBras distribuiu marmitas porque muitos postos não estavam funcionando. Assim como fizemos entregas de máscaras e álcool em gel, além de orientar os profissionais por meio de cartilhas com informações sobre como se proteger do coronavírus”, recorda Hacad.

Preocupação com segunda quarentena
O levantamento da FreteBras confirma uma forte preocupação dos caminhoneiros, caso os comércios voltem a fechar as portas. Entre os entrevistados, 41% afirmaram não estarem preparados financeiramente para uma segunda quarentena no Brasil.

“A crise afetou a economia mundial praticamente em todos os setores, inclusive o de transporte de cargas. Entretanto, o setor provou sua capacidade de enfrentar os efeitos da pandemia e absorver as demandas com postura firme. Acredito que o setor de cargas brasileiro, destacado como essencial durante o período de isolamento e restrição de atividades, vai sair fortalecido desse episódio”, finaliza Hacad.

Metodologia
A pesquisa foi realizada de forma online com usuários da FreteBras. A plataforma possui mais de 420 mil caminhoneiros cadastrados, o que equivale a um terço dos caminhoneiros do Brasil. As mais de 10 mil transportadoras assinantes da plataforma publicam em torno de 600 mil fretes por mês.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte