Especial | Opinião

Minha querida Ilha do Amor.

Luiz Thadeu Nunes e Silva08/09/2020

Nestes dias de pandemia por causa de um vírus: minúsculo, invisível e letal, que saiu de uma feira de víveres na distante China, e anda pelo mundo todo, sem pagar passagem, não precisar de passaporte, não respeitar leis ou regras; estou em casa, em São Luís do Maranhão, minha Ilha do Amor, há seis meses, recluso, desde que desembarquei de um giro pela Europa em março.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

Assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte